Em minhas-financas / planos-saude

Radar: acompanhe algumas das principais oscilações na bolsa nesta quarta-feira

Dados do mercado de trabalho dos EUA são ofuscados por alta das commodities, levando as bolsas ao campo positivo

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Contrariando o cenário de realização de lucros visto durante a manhã, as principais bolsas operam em alta nesta quarta-feira (2), com o Ibovespa registrando valorização de 0,66% nesta tarde e renovando sua máxima de pontos no ano. Números negativos do mercado de trabalho norte-americano são ofuscados pelo avanço no preço das commodities.

Na pauta econômica dos Estados Unidos, além do aguardo à divulgação do Livro Bege do Fed, as atenções se voltam para os indicadores. O número de postos de trabalho no setor privado do país indicou um recuo de 169 mil, acima dos 150 mil projetados. Por sua vez, o número de pedidos de hipotecas avançou 2,1% na última semana.

Contudo, o que tem ditado o rumo dos negócios nesta sessão são os preços das commodities, com destaque para o ouro, a prata e diversos metais, que registram nova valorização. Exceção apenas para as cotações de petróleo, que registram forte desvalorização, repercutindo os dados dos estoques norte-americanos do produto.

Petrobras
No front interno, o noticiário movimentado ganha a atenção dos investidores. A Petrobras (PETR4) foi autorizada pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) a perfurar novo poço na porção norte do pré-sal da Bacia de Santos, de profundidade estimada de 6.425 metros.

Ademais, José Sérgio Gabrielli, presidente da companhia, afirmou na noite anterior que o novo plano estratégico vigente até 2014 deverá ser concluído já no começo de 2010. "Nesse momento estamos avaliando mais de 3.500 projetos que entrarão neste novo plano estratégico", disse o executivo à Agência Estado. As ações da petrolífera operam com leve desvalorização de 0,25%.

Aquisições
O noticiário também dá espaço para novas incorporações. Após meses de negociação, a Caixa Econômica Federal anunciou na véspera a aquisição de 35% do capital social do Banco Panamericano (BPNM4), pertencente ao Grupo Silvio Santos, numa transação que movimentou R$ 739,2 milhões. Com isso, as ações do banco avançam 3,47% neste pregão.

O setor de saúde também entrou em pauta no tema aquisições. Nesta quarta-feira, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) anunciou a aprovação da compra da Amil (AMIL3) pela Medial Saúde (MEDI3), anunciada em novembro. Os papéis da companhia adquirida avançam 3,02%, enquanto os da empresa compradora sobem 0,77%.

Já a Hypermarcas (HYPE3) voltou a realizar novas aquisições. Por um valor de R$ 212,6 milhões, a bola da vez foi a Inal (Indústria Nacional de Artefatos de Látex). Desse montante, R$ 83,544 milhões foram pagos à vista, enquanto que os R$ 129,075 milhões restantes serão pagos em cinco parcelas anuais. As ações da compradora sobem 2,85% nesta tarde.

Destaque de alta
A Braskem (BRKM5) teve seu rating mantido pela agência de classificação de risco Fitch Ratings, mesmo após a adesão da empresa ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal). Segundo a equipe, a despeito da pressão sobre o fluxo de caixa, "a forte liquidez deverá permitir que ela honre esses pagamentos". Com forte alta de 4,48%, os papéis da empresa lideram os ganhos no Ibovespa neste pregão.

Reajuste no pedágio
Por sua vez, a Triunfo Participações (TPIS3) obteve na Justiça a autorização devida para reajuste de tarifas de pedágio de sua controlada Econorte. As cobranças pelo uso das rodovias da empresa, localizadas no norte do Paraná, serão elevadas em 1,46%, segundo comunicado divulgado. As ações da companhia registram valorização de 2,44% na bolsa brasileira.

Desdobramento de ações
A OGX Petróleo (OGXP3), empresa controlada por Eike Batista, anunciou o desdobramento de suas ações na proporção de 1 para 100 - ou seja, cada ação de emissão da companhia passará a ser representada por 100 ações. Os papéis da empresa operam com forte alta de 3,63%.

Oferta da Energias do Brasil
Por fim, a EDP - Energias do Brasil (ENBR3) divulgou os números em torno de sua oferta pública secundária de ações ordinárias, já encerrada. A companhia captou com a operação um total de R$ 441,75 milhões, dos quais mais de 58% veio do exterior. Seus papéis sobem 1,2% nesta tarde.

 

Contato