Em minhas-financas

Você compra por necessidade ou por impulso?

Veja os principais sintomas de quem está sempre com o saldo da conta no vermelho; é possível estabelecer o equilíbrio e sair das dívidas!

SÃO PAULO - Um belo dia, ao checar o saldo de sua conta, você descobriu que já estava no limite do cheque especial, e, para se livrar das dívidas, resolveu mudar os hábitos, estabelecer uma estratégia de quitação dos débitos, e em pouco tempo a conta voltou para o azul.

O problema é que, em pouquíssimos meses, a situação complicou novamente. Quando você menos esperava, lá estava o saldo negativo no banco mais uma vez. A pergunta é: por que você não conseguiu controlar o orçamento? Será que pode ser definido como um consumidor compulsivo?
De acordo com o consultor Emanuel Gonçalves da Silva, da SOS Dívidas, algumas características básicas podem ajudar você a reconhecer, através de seu comportamento como consumidor, se realmente faz suas compras por compulsão.

"Sintomas"
Entre os "sintomas" mencionados, está a falta de organização, isto é, dificilmente você anota o que gasta com seus compromissos; e a emissão de muitos cheques pré-datados, mesmo tendo dinheiro na conta, por pura questão de hábito.

Outro sinal de que está na hora de frear as compras: você não pode ver uma sacoleira ou qualquer banca cheia de bugigangas, que já quer levar tudo. Afinal, é tudo baratinho e uma hora você vai usar aquela blusa verde limão em algum momento. Pura ilusão!

O mesmo vale para os passeios em shopping centers. Todo mundo gosta de aproveitar e, de repente, se vê com sacolas e mais sacolas nas mãos. Afinal, toda loja aceita cartão de crédito, cheques pré-datados e facilita o parcelamento, não é? Se a sua situação financeira não anda nada bem, evite então as tentações dos centros de compras.

É até mesmo engraçado, mas o consultor lembra que há pessoas que sentem vergonha de pechinchar, e por isto acabam gastando mais do que o necessário. Peça descontos sempre! A loja tem o interesse na venda, você na compra, então tudo é questão de chegar a um número satisfatório através de uma boa conversa.

Empréstimos são grandes vilões de qualquer orçamento. Se para pagar uma dívida você assume uma outra, e para quitar esta, toma outro empréstimo, então há muito descontrole em suas finanças! Recorra a empréstimos em último caso e sempre pesquise as menores taxas de juros.

Inconseqüência
Amigos, amigos, negócios à parte. Isto mesmo! Não saia por aí emprestando o seu nome ou cheque a amigos e parentes, pois este é outro motivo freqüente que levam muitos ao vermelho.

Se beber um pouco além da conta aumenta o risco de acidentes de trânsito, por exemplo, o mesmo ocorre com suas finanças. Os consumidores compulsivos são assim: vão a uma festa, animam-se um pouquinho mais e gastam o que têm e o que não têm.

E agora?
Você se identificou com algumas ou todas as situações acima? Então está na hora de rever seus hábitos para que suas dívidas não cresçam em um efeito bola de neve.

Faça uma autovigilância com freqüência e adquira o costume de anotar as despesas constantemente para não acabar gastando mais do que tem. Uma boa dica é elaborar uma planilha de controle do orçamento, com a descrição de toda sua renda e despesas mensais. Boa sorte!

 

Contato