Em minhas-financas

Como o internauta pode se prevenir dos e-mails falsos?

Mensagens fraudulentas podem trazer sérios prejuízos aos usuários, por isso vale estar atento a características que ajudam em sua identificação

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - As fraudes virtuais ocorridas no Brasil cresceram 1.313% entre o segundo trimestre de 2004 e o mesmo período deste ano, passando de 562 registros para 7.942, conforme dados do Cert.br (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil).

Uma das modalidades mais simples e freqüentes destes crimes cometidos na internet são os e-mails falsos, que a toda hora lotam as caixas de mensagens de milhões de usuários e em muitos casos conseguem fazer suas vítimas.

A fraude funciona da seguinte forma: o internauta recebe um e-mail como se fosse de uma grande empresa ou banco; no corpo desta mensagem há um formulário para ser preenchido com alguns dados pessoais, ou então existe um link que abre uma outra página falsa. Sem saber, o usuário completa as informações requeridas, como senhas bancárias, fornecendo-as todas ao fraudador.

Como identificar?
Tão comuns no ambiente virtual, em algumas ocasiões os e-mails falsos podem passar despercebidos pelo internauta e lhe causar prejuízos significativos. Por isso vale a pena ficar sempre atento e conhecer algumas características destas mensagens fraudulentas.

Uma boa maneira de reconhecer um e-mail falso é perceber se o texto possui o nome da pessoa na saudação. As mensagens reais sempre cumprimentam o destinatário de maneira particular, enquanto as mentirosas, por serem enviadas em massa para fazer o maior número de vitimas, costumam vir com saudações genéricas, como "olá" ou "boa tarde".

É importante também prestar atenção no endereço do remetente, muitas vezes estranho e sem relação coerente com a empresa a qual está forjando. Vale, ainda, ter bom senso e analisar o conteúdo do texto recebido: presente generoso oferecido pela internet é coisa rara, por isso, nunca é demais desconfiar.

A aparência do e-mail falso pode ser outra maneira de identificá-lo, pois geralmente o visual da mensagem apresenta-se menos elaborado, com logotipos em baixa definição e layout confuso. O próprio texto, às vezes, está mal escrito e tem erros de gramática. Esta dica, contudo, cabe apenas para os e-mails falsos mais toscos. O usuário não pode se esquecer das versões fraudulentas sofisticadas, em que a mensagem é praticamente idêntica à original.

Para prevenir
A primeira medida de segurança que o usuário deve tomar é nunca fornecer dados pessoais por e-mail. Instituições sérias jamais solicitam informações deste tipo pela internet. Também vale não acessar o site de bancos através de links presentes em outras páginas eletrônicas. O melhor caminho é mesmo digitar o endereço na barra do navegador.

Alguns softwares básicos são outras maneiras de precaução, como um antivírus no computador e um filtro anti-spam no e-mail. Além disso, não se deve instalar programas de origem desconhecida.

Outra ferramenta que pode ser utilizada pelo internauta é a nova versão da Cartilha de Segurança para Internet, lançada pelo Cert.br na última terça-feira (06) e cujo conteúdo está disponível no site cartilha.cert.br.

As principais novidades desta edição do manual são a ampliação das definições relacionadas a fraudes, a inclusão de novas tecnologias, como celulares e computadores de mão, e a criação de um seção dedicada a códigos maliciosos.

 

Contato