Em minhas-financas

Orçamento: veja como reduzir as despesas com o condomínio

Soluções simples e práticas representam grande diferença nas contas mensais; saiba o que fazer para economizar

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Contribuir para a redução de despesas dentro de um condomínio é mais fácil do que se imagina. Com um pouco de colaboração dos moradores e da administração, soluções simples e práticas podem representar uma grande diferença nas contas mensais.

Participar do dia-a-dia do condomínio, auxiliando vizinhos e o síndico na administração do prédio é muito importante. Confira a seguir uma série de recomendações para ajudar a cortar os gastos e aliviar o seu orçamento no final do mês.

Economizando com energia elétrica
Maximizar o aproveitamento da luz natural é uma solução prática e eficiente para a redução dos gastos: mantenha abertas cortinas e persianas das áreas comuns e use pinturas claras nas paredes dos corredores, paredes e elevadores (cores mais escuras exigem lâmpadas mais fortes).

Ilumine os ambientes conforme a necessidade, utilizando lâmpadas fluorescentes em lugares onde permaneçam acesas durante longos períodos de tempo (corredores, por exemplo), e incandescentes em lugares que exijam mais iluminação (como uma sala de jogos). Deslige um ou mais elevadores nos horários de menor movimento e instrua os moradores a chamarem apenas um elevador.

Uso racional da água
Como na maioria dos condomínios a conta de água é uma só para todos os moradores, englobando o consumo das áreas comuns e das unidades privativas, as despesas com o consumo tendem a ser bastante elevadas, sobretudo devido ao desperdício. Poucos condôminos têm a preocupação de economizar. O motivo alegado é quase sempre um só: qual a vantagem em economizar água em meu apartamento se o vizinho não fizer o mesmo?

Neste sentido, controlar e fiscalizar o uso racional da água nas áreas comuns acaba sendo mais fácil; e a tarefa pode ser assumida pelo próprio zelador do prédio.

Bons exemplos de economia de água: evitar "varrer" áreas internas e calçadas com o esguicho da mangueira; verificar regularmente se há vazamentos nas áreas comuns e orientar os moradores no caso de ocorrerem vazamentos nas privativas; e verificar a possibilidade de fazer um cadastro na concessionária para ter direito a uma tarifa menor, já que o consumo dos condomínios tende a ser sempre elevado.

Horas extras de funcionários encarecem o condomínio
Outra forma de economizar na conta do condomínio é ter atenção às horas extras pagas aos funcionários. Cuidar que todos sejam bem aproveitados evita gastos com horas extraordinárias, que tornam a remuneração mais cara.

Estabelecer escala de revezamento ou definir a contratação de mais funcionários podem amenizar o problema. Mas é preciso que tudo seja feito de acordo com as leis trabalhistas para evitar dores de cabeça no futuro.

Multa caiu, mas não se acomode
Desde que o novo Código Civil entrou em vigor, em 11 de janeiro de 2003, a multa cobrada pelo atraso no pagamento do condomínio caiu de 20% para 2% ao mês. Apesar do recuo significativo, tente sempre evitar o atraso no pagamento, pois além dos encargos financeiros, você estará onerando outras pessoas.

Isto mesmo, se você atrasar a conta quem arcará com a diferença serão os seus vizinhos. Agora, imagine todos falando mal de você nas reuniões de moradores? Planeje seu orçamento de forma a ser capaz de cumprir com o pagamento da cota sem grandes problemas.

Vivendo em harmonia
É claro que a questão financeira é a que mais pesa quando o assunto é condomínio. No entanto, não podemos esquecer que estamos falando em centenas ou milhares de pessoas morando em um mesmo local.

Portanto, cumprir com as normas de comportamento, respeitar os direitos dos moradores, funcionários e vizinhos, cumprir com suas obrigações, zelar pelo bem privativo e comum, e contribuir para que a relação entre vocês melhore cada vez mais é essencial para fazer valer seus direitos.

 

Contato