Em minhas-financas

Como administrar uma crise financeira?

Parece fácil para quem está fora da situação, mas quem enfrenta o problema sabe o quanto é desgastante superá-lo. Veja algumas dicas

SÃO PAULO - Tudo em seu dia-a-dia estava perfeito. Trabalho, casa, amigos, família em perfeito equilíbrio. Porém, a situação dá uma guinada e você, de repente, se vê no meio do furacão. As despesas aumentam, a situação no emprego já não é mais tão estável, amigos e parentes se mostram cada vez mais distantes. O que fazer quando isso acontece?

Análise real do orçamento
Bom, passado o susto, o melhor a fazer é analisar friamente o seu orçamento. Coloque nele sua receita real, se ainda contar com uma, e todas as despesas mensais. Liste aqui não apenas as contas de água, luz, telefone, celular e etc, mas também as despesas com compras para a casa, vestuário, alimentação e medicamentos. Leve tudo em consideração.

Nesta hora, você poderá se surpreender em como já vinha acumulando gastos maiores do que seu ganho, num padrão além do ideal, levando-o a uma situação difícil como esta. Como agora não adianta se lamentar, o ideal é, portanto, partir para o ataque.

Corte de despesas
Visando o seu bem estar, e o de sua família, não tenha medo de cortar para valer algumas despesas. Existem muitos itens em nosso dia-a-dia que podem ser dispensados numa situação como essa. Você sentirá uma queda em seu padrão de vida, mas, por outro lado, poderá pagar suas contas e isso é o principal.

Evite cair na tentação de contrair empréstimos para quitar dívidas. Opte por este caminho somente se não houver qualquer outra alternativa. Lembre-se: uma dívida leva à outra. O mais seguro, neste caso, é que você negocie suas pendências e corte o máximo possível de custos.

Apoio da família
Caso tenha filhos e cônjuge, procure envolvê-los na situação. É claro que você não passará aos seus filhos uma preocupação enorme que deve ser sua, mas é sempre saudável manter a transparência, fazendo com que colaborem na economia da casa, reduzindo a duração de uma conversa no telefone, pensando duas vezes antes de demorar no banho, enfim, travando uma verdadeira batalha contra as despesas.

Quanto ao seu companheiro, ou companheira, divida as responsabilidades. Nesta hora, duas cabeças pensando conseguem melhores soluções para um problema que é grave, mas que não deve ser supervalorizado. Isso levaria a crise financeira para a vida pessoal, o que teria conseqüências ainda piores.

Fontes alternativas de renda
Se a crise financeira ocorre, mesmo você estando empregado, talvez seja interessante analisar sua situação profissional. Seu salário é compatível ao que você faz? Há chance de negociação? Caso isso não seja possível, procure, de forma criativa, buscar fontes alternativas de renda.

Caso sua esposa não trabalhe, talvez este seja o momento ideal. O mesmo vale para os seus filhos, caso tenham idade suficiente para bancar seus estudos, por exemplo. Para isso, terá de mudar sua mentalidade. Não se sinta fracassado ou impotente diante de uma situação. Ao contrário, sinta que conta com uma família realmente estruturada para superar situações difíceis. E lembre: a situação, por mais difícil que pareça, é passageira.

 

Contato