EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em minhas-financas

Substituir transporte público por bicicleta gera uma economia de mais de R$ 600

Em cinco meses, trocar duas passagens de ônibus e metrô gera economia de quase dois salários mínimos

SÃO PAULO - Nesta terça-feira (5) é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente e uma das mudanças comportamentais que podem melhorar a relação da população com o meio ambiente e também com o bolso é a troca do carro ou ônibus pela bicicleta.

Somente no mês de maio, considerando os 22 dias úteis do mês, o cidadão que trocou o transporte público paulista pelo alternativo economizou entre ida e volta, R$ 132. Já aqueles que deixaram de utilizar uma passagem de ônibus e outra de metrô para chegar ao trabalho, economizou R$ 204, considerando a integração de R$ 4,65 com o bilhete único.

No acumulado entre janeiro e maio deste ano, foram 106 dias úteis. Considerando este período, quem trocou o transporte público pela magrela economizou R$ 636 entre ida e volta, mais de um salário mínimo. Já quem apostou no transporte alternativo no lugar de duas viagens de ônibus e metrô, teve uma economia de R$ 985,90, cerca de 1,5 salário mínimo.

Mudando de hábito
Para começar a pedalar basta comprar uma bike, e claro, o capacete, item de segurança indispensável para quem deseja praticar o esporte ou usá-lo como alternativa de transporte.

No ano passado, de acordo com a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), foram vendidas 5 milhões de bicicletas. Em média, um capacete custa R$ 150, já uma bicicleta pode custa desde R$ 250 até mais que um carro popular.

Andar pelas ruas da cidade exige muito mais que equipamentos de segurança, mas todo cuidado com pedestres e veículos, por isso, ter alguém que ajude a conhecer todos os segredos das rua é muito importante.

Para ajudar os iniciantes, foi criado o grupo Bike Anjos, que são ciclistas experientes que ajudam as pessoas que querem começar a pedalar na cidade com mais segurança. O serviço é gratuito e está disponível em outras cidades além de São Paulo.

Já os ciclistas mais experientes que queiram ajudar a inserir as bicicletas no dia a dia das cidades, podem fazer parte do grupo

Contato