Em minhas-financas

Passageiro deve estar atento às regras para transporte de animais em viagens

Para sair do País, animais de estimação precisam atestar saúde por meio de certificado zoossanitário internacional

SÃO PAULO - Para realizar uma viagem internacional com o animal de estimação, o passageiro deve ficar atento às normas de ingresso no país de destino.

A primeira atitude a ser tomada é a emissão de certificado que garante que o animal está em boas condições de saúde, realizada pelo Vigiagro (Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional). Para obter o CZI (Certificado Zoossanitário Internacional), é preciso procurar um veterinário para obter o atestado de saúde animal e outros documentos eventualmente exigidos pelo país de destino.

O atestado de saúde emitido pelo veterinário é válido por três dias, por isso, nesse período, o tutor do animal precisa pedir a emissão do CZI.

De acordo com a fiscal federal Mirela Eidt, a permanência no destino pode ser de um, dois ou 90 dias. Independente disso, para retornar ao Brasil, o dono do animal terá de procurar o serviço veterinário oficial do país em que está para pedir novo documento. Se tudo estiver correto, o tutor não precisará levar o animal para obter o CZI. “O proprietário é responsável pela fidelidade das informações, que serão fiscalizadas no ponto de ingresso”, acrescenta.

Apesar de o certificado ser emitido gratuitamente, as companhias aéreas cobram taxas específicas para o transporte de animais, baseadas no peso e tamanho do animal, a critério de cada empresa.

Para viagens nacionais, durante o deslocamento, o dono do animal deve ter em mãos a carteira de vacinação do bicho, atualizada para a vacina contra a raiva.

Vacinas
O CZI é emitido na hora, porém, pode demorar até 48 horas, dependendo da demanda. Além disso, é importante saber que é preciso vacinar os animais com a antirrábica. A vacina só não é obrigatória em países considerados livres da doença.

Países da União Europeia, por exemplo, demandam teste de anticorpos contra raiva e só permitem ingresso após três meses da realização do exame. Para o Japão, é preciso esperar seis meses após o teste.

 

Contato