Em minhas-financas

Satisfação dos paulistanos com o consumo sobe em 2011, mostra pesquisa

Apesar disso, item não tem tanto peso na qualidade de vida, pois a nota ficou na média, de 5,6 pontos, contra 5,5 de 2010

SÃO PAULO – Embora a capital paulista seja um verdadeiro centro das compras, a satisfação com esse quesito não pesa tanto para os paulistanos na hora de eles avaliarem a qualidade de vida em São Paulo. Quando se trata de consumo, em uma escala de 1 a 10, os moradores da cidade deram nota 5,6 ao item, um pouco acima da avaliação de 2010, que ficou em 5,5 pontos.

A satisfação consta no Irbem (Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município), realizado pelo Ibope Inteligência, a pedido da Rede Nossa São Paulo, e divulgado nesta quarta-feira (18). Para a pesquisa, foram entrevistados 1.512 moradores da cidade, com idade acima de 16 anos, entre os dias 29 de novembro e 12 de dezembro do ano passado.

Além do leve aumento da satisfação dos paulistanos sobre o consumo, houve queda da insatisfação em grande parte dos itens avaliados nesse quesito pelos paulistanos. De maneira geral, os paulistanos se dizem menos insatisfeitos com a possibilidade de consumir produtos reciclados, com o incentivo ao consumo sustentável, a durabilidade dos produtos, disponibilidade de informações e oportunidade de consumir bens artísticos e culturais.

Quantidade consumida
De acordo com o levantamento, entre 2010 e 2011, a satisfação dos paulistanos sobre a quantidade que eles consomem mudou pouco. No ano passado, 42% dos entrevistados afirmaram que estavam insatisfeitos com o volume que compraram ao longo do ano, considerando as suas necessidades, ao passo que esse percentual era de 43% em 2010.

Aqueles que disseram estar totalmente satisfeitos com a quantidade dos produtos que compraram alcançou os 9% em 2011, contra 11% em 2010.

Consumo consciente
A pesquisa ainda mostra que diminuiu o número de paulistanos que se dizem insatisfeitos com a possibilidade de comprar produtos reciclados e recarregáveis. Esse percentual passou de 49%, registrado em 2010, para 46% no ano passado. Já o percentual dos que se dizem satisfeitos com esse item também diminuiu, de 12% para 9%.

A queda da insatisfação com esse item pode estar relacionada ao recuo da insatisfação com os incentivos ao consumo moderado e sustentável. A pesquisa mostra que 46% dos paulistanos se diziam insatisfeitos com esse tipo de incentivo. Em 2010, esse percentual era de 52%.

Já a satisfação dos consumidores com relação à durabilidade dos produtos revelou não variou, ficando em 6%. O percentual daqueles que se sentem insatisfeitos com relação ao item passou de 54% para 48%.

As informações fornecidas pelas empresas sobre os impactos ambientais dos produtos também ainda não estão satisfazendo boa parte dos consumidores da capital paulista. No ano passado, o percentual daqueles que se diziam satisfeitos com esse item chegou a 6%, enquanto o daqueles que se dizem insatisfeitos atingiu 50%.

Direitos dos consumidores
Ainda segundo a pesquisa, em 2010, 58% se diziam insatisfeitos com o respeito aos direitos do consumidor, ao passo que, no ano passado, o percentual caiu para 53%. Em 2011, 6% afirmaram estar satisfeitos com o respeito aos direitos do consumidor, contra 10% em 2010.

 

Contato