Mastercard quer expandir cartões vinculados a criptomoedas

Cartões emitidos pelas corretoras Binance, Nexo e Gemini têm bandeira Mastercard, e outros devem estar a caminho

Reuters

Publicidade

A Mastercard pretende expandir o programa de cartões de pagamento vinculados a criptomoedas através de mais parcerias com empresas, disse o chefe de criptoativos e blockchain da companhia.

A declaração ocorre apesar de o setor de ativos digitais enfrentar uma pressão mais minuciosa dos órgãos reguladores e uma cautela maior dos bancos.

A Mastercard já fez parceria com plataformas, incluindo Binance, Nexo e Gemini, para oferecer cartões de pagamento vinculados a criptomoedas em alguns países. Os cartões da Binance permitem que os usuários façam pagamentos em moedas tradicionais, com saldo carregado em criptomoedas.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do InfoMoney)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“Temos dezenas de parceiros em todo o mundo que oferecem programas de cartões e eles continuam a se expandir”, disse Raj Dhamodharan, chefe de criptoativos e blockchain da Mastercard, à Reuters na quinta-feira (27).

“Fornecer acesso a criptomoedas de maneira segura também faz parte de nossa proposta de valor e continuamos a fazer isso.”

Os bancos ficaram mais cautelosos com os clientes de ativos digitais depois que várias empresas colapsaram no ano passado, incluindo a FTX. Enquanto isso, os reguladores norte-americanos estão elevando a repressão ao setor, alegando falta de “compliance” no mercado.

Continua depois da publicidade

Em março, a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos Estados Unidos processou a Binance, acusando a empresa de operar o que classificou como uma “exchange ilegal”. Além disso, alegou que o programa de “compliance” da companhia é uma “farsa”.

Dhamodharan não quis comentar especificamente sobre a Binance, mas disse que qualquer programa de cartão “passa por uma investigação completa” e é continuamente monitorado.

Questionado se a Mastercard está considerando impor restrições à quantidade de dinheiro que pode ser transferida às bolsas e às corretoras de criptomoedas por meio de sua rede de pagamentos, Dhamodharan disse: “Não estamos aqui para escolher vencedores. Não estamos aqui para escolher qual transação deve ou não acontecer.”

Ele acrescentou que os usuários da rede Mastercard passam por uma série de verificações de “compliance”, e que a empresa investiu em tecnologia de análise.