Sentiu diferença?

Juros caem ao menor nível desde 2015, mas continua em 3 dígitos

A Anefac avalia que as quedas esperadas na Selic devem reduzir o custo de captação dos bancos e possibilitar novos cortes das taxas de juros nas operações de crédito.

SÃO PAULO – As taxas de juros para pessoas físicas atingiu em julho o menor patamar desde dezembro de 2015, conforme levantamento da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade. Em média, houve recuo de 1,62 ponto percentual no ano, para 140,31%, na oitava queda consecutiva.

Segundo a Anefac, a queda nas taxas médias de juros é decorrente dos cortes na Selic e a expectativas de novas reduções diante da desaceleração da inflação. A perspectiva do mercado financeiro, segundo o Boletim Focus mais recente, é de que a Selic desça dos atuais 9,25% para 7,50% até o fim do ano.

Para os próximos meses, a Anefac avalia que as quedas esperadas na Selic devem reduzir o custo de captação dos bancos e possibilitar novos cortes das taxas de juros nas operações de crédito.

PUBLICIDADE

Do outro lado, o cenário econômico atual e o desemprego elevado aumentam o risco de elevação dos índices de inadimplência, o que aumenta igualmente o risco de novas elevações das taxas de juros aos consumidores sejam pessoa física ou jurídica.

Veja como ficaram as taxas das principais créditos concedidos para pessoas físicas: