Em minhas-financas / impostos

Bolsonaro quer corrigir tabela do IR pela inflação

Tabela não muda desde 2015; correção aumentaria a faixa de isenção

imposto de renda
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O presidente Jair Bolsonaro disse no final de semana, em entrevista à Rádio Bandeirantes, que o governo pretende corrigir a tabela do IR (Imposto de Renda) pela inflação em 2020. 

Uma correção como essa normalmente aumenta a faixa de isenção para o pagamento de imposto. Portanto, interfere negativamente na arrecadação federal. Atualmente, estão isentos do pagamento de IR brasileiros cuja renda não supera R$ 1.903,98.

“Hoje em dia, o imposto de renda é um redutor de renda. Eu falei com o Paulo Guedes que este ano, no mínimo, temos que corrigir, de acordo com a inflação, a tabela do ano que vem”, disse o presidente em entrevista. 

A tabela da apuração do IR não sofre correções desde 2015, quando a então presidente Dilma Rousseff realizou a correção por MP (Medida Provisória). 

Confira a tabela atual

Renda mensal Alíquota
Até R$ 1903,98 isento
De R$ 1903,99 a R$ 2.826,65 7,5%
R$ 2.826,66 a R$ 3.751,05 15%
De R$ 3.751,06 a R$ 4.664,68 22,5%
A partir de R$ 4.664,69 27,5%

Confira a tabela simulada dos impostos que teriam sido cobrados em 2019, de acordo com o Sindifisco e considerando a inflação desde 1996 e o IPCA projetado para 2019 em 4,04% (projeção do boletim Focus). 

Renda mensal Alíquota
Até R$ 3.689,57 isento
De R$ 3.689,58 a R$ 5.477,56 7,5%
R$ 5.477,57 a R$ 7.337,77 15%
R$ 7.337,78 a R$ 9.168,45 22,5%
A partir de R$ 9.168,46 27,5%

Fonte: Sindifisco

Planeje suas finanças: invista. Abra uma conta gratuita na XP. 

 

Contato