Investimentos

Imposto de Renda 2019: como declaro fundos de investimento?

Qualquer tipo de investimento com saldo superior a R$ 140 deve fazer parte da declaração do IRPF

SÃO PAULO – O período de declaração do Imposto de Renda 2019 chegou e investidores precisam estar atentos às suas aplicações e aos documentos necessários. Isso porque, assim como as ações, os fundos imobiliários e os investimentos em renda fixa, os fundos de investimento também possuem características próprias na hora da declaração.

Conversamos com Andrea Nicolini, coordenadora de impostos IOB, da Sage Brasil, para entender quem precisa declarar e como fazer isso da forma correta. Confira:

Quem precisa declarar?

Nicolini explica que qualquer tipo de investimento adquirido pela pessoa física deve fazer parte da declaração, desde que o saldo em 31 de dezembro de 2018 seja maior que R$ 140.

PUBLICIDADE

Como declarar

A aplicação em fundos de investimento deve ser informada na ficha “Bens e Direitos” do programa, na linha de número “71 – Fundo de Curto Prazo” ou “72 – Fundo de Longo Prazo e Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC) ou “74 – Fundo de ações, Fundos Mútuos de Privatização, Fundos de Investimento em Empresas Emergentes, Fundos de Investimento em Participação e Fundos de Investimentos de Índice de Mercado” ou “79 – Outros fundos”.

No campo “Discriminação”, o investidor deve informar a instituição financeira administradora do fundo, quantidade de quotas e, caso a conta seja conjunta, também deve informar nome e número de inscrição no CPF do co-titular / CNPJ do fundo.

Já no campo “Situação em 31/12/2018 (R$)”, o investidor deve informar o valor existente nesta data.

Quer economizar no IR? Receba o Guia do InfoMoney para pagar menos Imposto de Renda – é de graça!