Golpe do 0800: quadrilhas usam ‘Febraban’ em SMS fraudulento para roubar dados e valores

Criminosos têm enviado SMS às vítimas em nome de instituição financeira informando transação suspeita de alto valor

Equipe InfoMoney

Publicidade

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), associação que representa as instituições financeiras do país, emitiu alerta sobre o golpe do 0800, modalidade de golpe baseada no convencimento da vítima — também chamado de “engenharia social” — via mensagem de texto, usando o nome da entidade para o roubo de dados e valores.

O “golpe do 0800” não é uma novidade. Nele, os criminosos enviam mensagens de SMS à vítima em nome de uma instituição financeira, informando-a sobre uma transação (falsa) suspeita de alto valor em uma compra no varejo, e solicitam que a mesma entre em contato uma central de atendimento falsa para esclarecer a questão. 

Agora, além dos bancos tradicionais, as quadrilhas têm usado o nome da Febraban como remetente das mensagens fraudulentas. Por isso, a federação esclarece que não tem relacionamento direto com clientes e usuários do sistema bancário e ressalta que não contata pessoas físicas ou jurídicas por SMS, ligação telefônica, carta, e-mail, WhatsApp ou quaisquer redes sociais, para realização de procedimentos de segurança ou para efetivação de operações financeiras.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do InfoMoney)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Golpe

No Golpe, a mensagem de texto (SMS) possui um número 0800, simulando o contato de centrais telefônicas de atendimento. Em outra variante da fraude, os bandidos também usam nomes de bancos e de uma área de cartões de crédito.

Um exemplo de mensagem: “Compra aprovada em um determinado valor em alguma loja do varejo conhecida. Dizem que para confirmar, o cliente deve digitar o número 1, mas que caso desconheça a transação, o consumidor deve ligar para uma central de 0800 XXXXXX.”

Ao ligar para a central de atendimento falsa, a vítima ouve do golpista que a transação está em análise e que por isso ainda não aparece na fatura do cliente — o que é mentira; a compra não aparece porque, na verdade, não existiu.

Continua depois da publicidade

Para “resolver” o assunto, o criminoso afirma ao consumidor que ele deverá fazer uma transação para regularizar o problema, ou ainda pede dados pessoais, como número de conta e senha, para cancelar a operação.

Em variações mais antigas dessa modalidade, em vez de um SMS, a vítima recebia uma ligação com uma gravação simulando as URAs (Unidade de Resposta Audível) das instituições financeiras — uma tecnologia que permite que os clientes interajam com o sistema de atendimento das empresas — ou com os próprios criminosos na linha, se passando por atendentes.

Outro artifício usado nas mensagens é afirmar que as milhas ou pontos do cartão do cliente estão vencendo e pedir para que o cliente ligue para a falsa central a fim de não perder as vantagens, ou ainda enviar links de sites fraudulentos, que induziram o cliente a fornecer dados bancários e pessoais. Também há casos de mensagens de falsos prêmios que induzem a vítima a fazer uma ligação para os bandidos.

Como se proteger?

A Febraban orienta que o cliente não deve fazer ligações para números de telefone (0800) recebidos através de SMS ou por outras mensagens nunca.

Por isso, a entidade relembra: