Em minhas-financas / gadgets

Deputados de SC apresentam PL para proibir o 5G no estado

O projeto apresentado na assembleia legislativa na última semana é baseado em um boato que viralizou no YouTube em 2018. O projeto será encaminhado para as comissões de Justiça, Economia e Saúde da casa

5G, celular
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Na última quarta-feira (17), os deputados estaduais Marcius Machado (PL) e Nilso Berlanda (PL) apresentaram, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC), o PL/0241.5/2019, um projeto de lei que propõe a proibição de testes e a instalação da tecnologia 5G no estado.

O projeto será encaminhado para as comissões de Justiça, Economia e Saúde da casa. Como justificativa da proposta, os parlamentares argumentam que supostos riscos para a saúde dos humanos e dos animais estão sendo deixados de lado e que a radiação da tecnologia é muito forte.

O texto do projeto ainda culpabiliza os meios de comunicação por elogiarem a nova tecnologia em detrimento dos possíveis malefícios da instalação do 5G e pretende aplicar multa de R$ 100 mil aos infratores.

"Os meios de comunicação vêm divulgando apenas as vantagens que as redes sem fios 5G podem trazer em matéria de comunicação e transmissão e dados", diz a justificativa do PL. "Esta casa não pode aceitar que a saúde das pessoas seja prejudicada, bem com a morte de inúmeros animais", conclui o texto da proposta.

A TIM, em parceria com a Huawei e a Fundação Certi, começou os testes da nova tecnologia em maio deste ano, em Florianópolis, com a instalação de uma antena. A previsão é que em 2021 ocorra a chegada comercial do 5G no Brasil.

Achismos e boatos?

Para sustentar a tese, os parlamentares utilizam de referência um boato que viralizou, principalmente no YouTube, de que testes do 5G teriam causado a morte de centenas de pássaros na Holanda. A história já foi desmentida por sites estrangeiros de notícias e de checagem.

Não há evidencia cientifica que comprove o impacto da radiação não-ionizante (radiação gerada pelo sinal de dados móveis) sobre a saúde dos seres vivos.

Ao fim da proposta, os deputados alegam, também, que a nova tecnologia seria responsável por acabar com as abelhas da região. E, como tentativa de validar seu ponto, utilizam um argumento de autoridade: atribuem ao cientista Albert Einstein a frase "Se as abelhas desaparecessem da face da terra, a humanidade teria apenas quatro anos de existência".

Porém o site Quote Investigator, um site que verifica as origens reportadas de cotações amplamente divulgadas, alega que não há evidencia que o físico tenha falado isso em sua vida.

Invista seu dinheiro com qualidade. Abra sua conta na XP Investimentos - é grátis

 

Contato