Em minhas-financas / gadgets

Golpe com perfis falsos de bancos no Facebook já tentou enganar mais de mil pessoas

Em fevereiro, mais de mil pessoas curtiram ou seguiram páginas falsas de instituições bancárias acreditando se tratarem de canais oficiais 

Hackers
(Shutterstock)

SÃO PAULO -  Um novo golpe vem sendo disseminado entre usuários do Facebook. A empresa de segurança digital Psafe identificou mais de 30 perfis falsos na rede social que simulam ser canais oficiais de bancos.

Segundo a empresa, essas páginas falsas atuam como isca para levar os internautas a sites, também falsos, para que os criminosos tenham acesso a dados financeiros dos usuários. Em fevereiro, mais de mil pessoas curtiram ou seguiram essas páginas falsas de instituições bancárias acreditando se tratarem de canais oficiais.

Esses criminosos usam nomes de grandes bancos, com Banco do Brasil e Itaú, entre outros, para aparentar credibilidade e enganar usuários que buscam por seus correspondentes bancários na rede social. Nas páginas falsas, são apresentados posts de supostos serviços e links que encaminham a vítima para um site falso do banco em questão, que solicita credenciais pessoais de acesso, como agência, número da conta e senha. 

Ao clicar em links exibidos nas páginas falsas e preencher as lacunas com seus dados, a vítima entrega informações da sua conta bancária ao hacker, permitindo que ele realize transações bancárias indevidas e cause prejuízos financeiros.

“Desde o ano passado, temos percebido que hackers estão realizando cada vez mais essa modalidade de golpe. Acreditamos que isso vem acontecendo devido à possibilidade do cibercriminoso atrair as vítimas por meio de anúncios incentivados da página falsa, prática que permite, inclusive, segmentar o ataque para perfis mais vulneráveis de usuários. Além disso, as páginas são feitas com atenção aos detalhes, buscando trazer maior veracidade ao golpe”, comenta Emílio Simoni, diretor do DFNDR Lab, laboratório de segurança digital da PSafe.

A empresa sugere que as pessoas utilizem bloqueio anti-phishing, além de o usuário criar o hábito de se certificar se a página se trata realmente do canal oficial do banco ao avaliar a quantidade de usuários, data e periodicidade das publicações e até mesmo a interação da página com os clientes.

O Itaú Unibanco afirma que faz um “monitoramento contínuo de perfis falsos nas redes sociais, além de trabalhar intensamente no processo de exclusão deles junto aos canais”. O banco informou que seus perfis oficiais sempre terão o selo de verificação da própria rede e reforçou “que não entra em contato por telefone, e-mail ou redes sociais para atualizar cadastro, solicitar dados do cartão, senhas, códigos de segurança ou de iToken”.

Já o Banco do Brasil diz que atua em conjunto com as principais redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), constantemente, para inibir esse tipo de ação. Além disso, ressaltou que as redes sociais possuem mecanismos para certificar os perfis oficiais e realizam marcações nessas páginas. O banco disse aidna que “realiza ações contínuas de orientações aos usuários, tanto em relação aos perfis oficias, como com dicas de segurança”.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Fuja dos bancos, abra uma conta na XP.

 

Contato