Em minhas-financas / gadgets

Acordo elimina tarifas para eletrônicos em 80 países, mas Brasil resolve ficar fora

Essa negociação reduzirá em US$ 1 trilhão as tarifas sobre eletrônicos ao redor do mundo

iphone_ipad_bloomberg

SÃO PAULO - Um megaacordo envolvendo governos de 80 países diferentes foi fechado na OMC (Organização Mundial do Comércio) eliminando a tarifa de mais de 250 produtos eletrônicos e de tecnologia da informação, entre semicondutores até aparelhos de ressonância magnética, passando por GPS, videogames e até cartuchos de impressoras. Contudo, o Brasil ficou fora do acordo.

Essa negociação reduzirá em US$ 1 trilhão as tarifas sobre eletrônicos ao redor do mundo - assim, o Brasil joga fora a chance para que o modernizasse seus hospitais e escolas, por exemplo, com um custo muito mais baixo. Porém, o País decidiu ficar de fora do acordo para proteger a indústria eletroeletrônica nacional. 

O ITA (sigla em inglês para Acordo de Tecnologia da Informação) foi assinado neste sábado em Geneva, onde os representantes americanos concordaram em algumas concessôes para a China, facilitando o acordo com Coreia do Sul e Europa. Algumas empresas beneficiadas pela medida são Samsung, Intel e Sandisk. 

Os países signatários do acordo representam 97% de todo o comércio global de eletrônicos. As negociações para se estabelecer um calendário de execução devem começar em setembro e devem terminar por volta do dia 18 de dezembro, na reunião da OMC em Nairobi. 

A expectativa é que o acordo esteja funcionando em julho de 2016. O comércio global deste tipo de produto movimenta US$ 4 trilhões em todo o mundo. 

 

Contato