Em minhas-financas / consumo

Para ganhar um iPhone com o Apple Card você precisa gastar R$ 10 mil por mês

Todas as compras feitas com o Apple Pay devolvem ao cliente 2% do valor gasto   

apple card cartão de crédito
(divulgação)

SÃO PAULO - A Apple anunciou um cartão de crédito próprio em parceria com o Goldman Sachs, o Apple Card, em evento na última segunda-feira (25). Além de não cobrar anuidade, um dos diferenciais do cartão é o benefício de cashback.

Todas as compras feitas com o cartão via Apple Pay devolvem diariamente ao cliente 2% do valor gasto em dinheiro. Quando a compra for feita diretamente em lojas da Apple (incluindo serviços e App Store), esse retorno é de 3%. Quem usar o cartão físico recebe de volta 1%. 

Embora a novidade chame a atenção, sempre é importante perguntar: vale a pena? O InfoMoney calculou quanto seria necessário gastar por mês para pagar um novo iPhone apenas com o dinheiro do cashback. Confira: 

a) iPhone XS 64 GB  Preço do aparelho nos EUA: US$ 1 mil  Cashback de 2%  Tempo médio para um usuário Apple trocar de iPhone: 2 anos 

Considerando essa situação como o modelo top de linha, o cliente precisaria gastar, por mês, US$ 2 mil para conseguir juntar os US$ 1 mil em dois anos e um mês e comprar um novo aparelho. Isso considerando o valor do aparelho mais robusto atual, sem eventuais aumentos no valor. 

b) iPhone XR 64 GB Preço do aparelho nos EUA: US$ 749 Cashback de 2%  Tempo médio para um usuário Apple trocar de iPhone: 2 anos 

Com a versão mais barata nos EUA, o cliente precisa gastar US$ 1.500 por mês durante dois anos para conseguir comprar um novo aparelho - desconsiderando aumento de preços. 

Se o valor parece salgado, ao transformá-lo para as condições brasileiras, é ainda mais extremo. 

c) iPhone XS 64 GB Preço do aparelho no Brasil: R$ 7.299  Cashback de 2% considerando compra paga via Apple Pay  Tempo médio para um usuário Apple trocar de iPhone: 2 anos 

Nesse caso, o cliente precisaria pagar faturas de R$ 15 mil por mês durante dois anos e um mês para conseguir pagar o iPhone do modelo da simulação - novamente, sem considerar aumentos nos preços do gadget.  

d) iPhone XR 64 GB Preço do aparelho no Brasil: R$ 5.199  Cashback de 2%  Tempo médio para um usuário Apple trocar de iPhone: 2 anos 

Pensando no modelo mais barato da nova linha, o cliente precisaria pagar faturas de R$ 10 mil por mês durante dois anos e dois meses para conseguir pagar o iPhone do modelo da simulação -  sem considerar aumentos nos preços do gadget.  

Embora o cartão não tenha sido anunciado para o Brasil, a simulação dá uma ideia das diferenças de preços dos aparelhos. 

Vale lembrar que bons programas de milhas normalmente oferecem condições especiais para quem tem faturas expressivas no crédito. Muitas vezes, é possível trocar as milhas e pontos por eletrônicos, além de viagens e outros itens. Vale consultar a quantidade de pontos por real ou dólar gasto do seu banco. 

Estratégia da Apple

O Apple card chega em meio a uma fase complicada para a empresa, que busca novos meios de obter receita com a queda na venda dos iPhones e sofre uma certa pressão de concorrentes.

A Samsung, por exemplo, apresentou sua nova linha de smartphones Galaxy S10 com preços mais baixos que a última geração de iPhones. E saiu na frente com a tecnologia dobrável do Galaxy Fold, ainda inexplorada pela Apple. 

Ficou claro no último evento que a estratégia da Apple para superar esses problemas é apostar em serviços. Embora o Apple Card prometa benefício de 2% na maioria das compras, esse valor sobe para 3% nas compras feitas diretamente da própria Apple. Isso significa um desconto geral para Apple iCloud, Apple Music, compras na App Store ou até mesmo um novo Mac ou iPhone.

Ou seja, com o cartão da Apple, o cliente é recompensado por mergulhar no ecossistema de produtos e serviços da Apple. Isso se torna muito importante em um momento em que fica mais difícil justificar o aumento do preço dos iPhones, considerando os valores dos concorrentes. 

Leia também:
- Cartão de crédito da Apple deve ser lançado em outros países
- Nubank ou Inter: qual oferece a melhor conta digital?
- Cashback: como funcionam os programas que devolvem dinheiro gasto

Mais que isso, quem optar por se tornar um cliente Apple Card fica praticamente obrigado a utilizar apenas smartphones da Apple pelo resto da vida - ou ao menos enquanto quiser fazer compras com esse cartão.

Sem o iPhone, não há acesso a nenhum serviço referente ao Card (desde o atendimento até o próprio número do cartão, que não consta na versão física). Mudar para a concorrência, para quem usar apenas o Apple Card como meio de pagamento, se torna praticamente impossível. 

Na verdade, isso não é muito diferente do que o Facebook está fazendo com as mensagens entre os usuários. Ao focar no WhatsApp, Messenger e no varejo via Instagram, a empresa está se posicionando lentamente como o intermediário entre o usuário e o mundo real - e em toda a vida social e os hábitos de consumo diários.

Ao fazer isso, fica muito mais conveniente usar o Facebook e, portanto, é muito mais difícil parar de usá-lo, o que é uma preocupação real para a rede social pós escândalo da Cambridge Analytica.

Invista para materializar seus sonhos: abra uma conta na XP - é de graça. 

 

Contato