Em minhas-financas / consumo

Uísque surpreende e é 'investimento' mais rentável em 2018 entre itens de luxo

Bebida virou produto favorito dos milionários asiáticos

Uísque
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Enquanto os milionários brasileiros aproveitam a alta do Ibovespa para lucrar com a alta de ações, os ricaços asiáticos estão apostando em investimentos mais líquidos, literalmente.

Do outro lado do mundo, um dos itens que mais se valorizou no último ano foi o famoso uísque single malt escocês. Para se ter uma ideia, em 2018 uma garrafa de The Macallan destilada em 1926 foi vendida por 700 mil libras na Inglaterra. Um mês depois, outra garrafa da mesma marca foi leiloada por preço recorde: 1 milhão de libras.

De acordo com o Knight Frank Rare Whisky 100 Index, que mede os preços de leilão da bebida no Reino Unido, os valores chegaram a subir 40% ao longo do ano passado. O valor é superior ao de demais artigos de luxo, como moedas (+12%), obras de arte (+9%), vinhos (+9), relógios (+5) e carros clássicos (+2%).

O índice mostra que os voos diretos entre Edimburgo (Escócia) e Pequim (China) contribuíram para o aumento anual das vendas de uísque na China, por exemplo. A rota está entre as favoritas dos super ricos asiáticos, que a utilizam para aprender sobre o produto, bem como para investir nos uísques mais exclusivos disponíveis atualmente no mercado.

De acordo com a Associação de Uísque Escocês, as vendas da bebida na Índia, China e Singapura subiram 44%, 35% e 24%, respectivamente, em 2018.

O aumento do interesse na bebida fez inclusive com que a Diageo, maior fabricante de destilados do mundo, anunciasse planos de investir US$ 240 milhões em atrações turísticas da bebida. O momento também impulsionou a abertura de 10 destilarias escocesas no sul do país pela primeira vez em quase dois séculos.

Segundo o estudo, um dos motivos da valorização é a raridade do produto, uma vez que a oferta está extremamente limitada, principalmente nas destilarias mais icônicas da Escócia. Além disso, muitos colecionadores estão apostando na personalização do uísque, seja na produção ou na garrafa, elevando o preço do produto.

Apesar da demanda estar crescendo de forma mais rápida na Ásia, a tendência também pode ser encontrada entre algumas das pessoas mais ricas do mundo, incluindo o CEO da Amazon, Jeff Bezos, que é conhecido por ser um grande colecionador.

Os dados mostram ainda que houve um aumento no preço da bebida em diversos outros países, como Estados Unidos, Taiwan e Japão. Também em 2018, uma garrafa japonesa foi vendida por quase R$ 350 mil em um leilão.

Seja para beber ou simplesmente carregar como ‘símbolo de status’, o fato é que o preço da bebida tem se apreciado - e os mais ricos do mundo já estão de olho nisso.

Invista o seu dinheiro com a melhor assessoria do mercado: abra uma conta gratuita na XP

 

Contato