Em minhas-financas / consumo

Metrôs de SP podem entrar em greve nesta terça-feira

Ainda nesta segunda-feira (4) deve ocorrer também a paralisação dos servidores públicos municipais

metrô na hora do rush 2
(Nacho Doce/Reuters)

SÃO PAULO - Nesta terça-feira (5) os metrôs de São Paulo podem entrar em greve. Além disso, nesta segunda-feira (4) os servidores públicos municipais começaram uma paralisação.  

A possibilidade da greve dos metrôs foi informada pelo site dos Metroviários. Haverá uma assembleia ainda hoje às 18h30 com o Sindicato para definir se vai ou não acontecer a paralisação.  

"A categoria está em luta contra os ataques do Metrô na tentativa de retirar direitos, privatizar e terceirizar ainda mais o transporte público. Foram realizadas setoriais nas áreas, reuniões, atos, uso de adesivo contra a privatização e retirada de uniformes na Operação", afirma o site. 

Segundo o órgão, o acidente ocorrido no último dia 29, com o choque de dois trens na Linha 15-Prata do Monotrilho, "expõe as condições de risco que os trabalhadores e a população sofrem nessa linha". Eles alegam que algumas estações "foram entregues às pressas e com vários problemas de segurança, sem acabamento e iluminação".

Além disso, uma demissão por justa causa também entra na lista de insatisfações dos metroviários como justificativa para a greve.

"Outra medida do Metrô que revoltou os trabalhadores ocorreu com a demissão injusta do Operador de Trem Joaquim José. Funcionário há 33 anos e diversas vezes elogiado pelos serviços prestados, foi demitido por justa causa sem qualquer apuração após agir em um incidente na Linha 1-Azul", diz a nota no site. 

Servidores públicos municipais 

De acordo com o Sindsep (Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo) professores, médicos e servidores de outras categorias entraram em greve hoje. Haverá uma assembleia na quinta-feira (7) para definir os rumos da paralisação.  

Definida em dezembro, a paralisação foi combinada depois da aprovação a reforma da Previdência municipal pela Câmara. A partir disso, a contribuição aumentou de 11% para 14% para os funcionários que ganham mais de R$ 5,6 mil. 

No site do Sindsep, há uma série de notícias que mostram apoio de outros órgãos à greve geral. O InfoMoney contatou o órgão, mas ainda não recebeu um posicionamento sobre o tema. 

Invista seu dinheiro para realizar seus maiores sonhos. Abra uma conta na XP - é de graça.  

 

Contato