Em minhas-financas / consumo

Metade dos postos de combustíveis de São Paulo tem irregularidades

Os postos com irregularidades terão 10 dias para apresentar defesa junto ao instituto e as multas podem chegar a R$ 1,5 milhão

posto de gasolina em SP
(Paulo Whitaker/Reuters)

SÃO PAULO - Uma blitz realizada na sexta-feira (15) verificou que 9 de 17 postos (53%) fiscalizados tinham irregularidades. A fiscalização foi realizada pelo Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), Procon e a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Ao todo, foram analisadas 283 bombas, com 23 reprovadas (8%). Também foram apreendidas 7 placas das bombas de combustíveis e 2 pulsers para análise em laboratório com indícios de fraude. Veja aqui a tabela com as irregularidades encontradas pelas equipes do Ipem-SP. 

Os postos com irregularidades terão 10 dias para apresentar defesa junto ao instituto e as multas podem chegar a R$ 1,5 milhão.

Fiscalização desde o início do ano
De janeiro até maio, o Ipem-SP fiscalizou 3.835 postos de combustíveis no Estado de São Paulo. Foram verificadas 44.992 bombas de combustíveis com 2.737 reprovações.

No combate às fraudes metrológicas, o Ipem-SP criou a Operação Especial “Olhos de Lince”. Em 2018, de janeiro a maio, as equipes do instituto fiscalizaram no Estado de São Paulo, durante a operação especial, 197 postos de combustíveis, verificaram 2.785 bombas e 289 foram reprovadas. No total, ocorreu a apreensão de 51 placas e 29 pulsers.

Quando encontradas fraudes nas bombas de combustíveis, o material coletado é periciado em laboratório do instituto com emissão de laudo. Além de autuar o estabelecimento, o Ipem-SP apura a responsabilidade da oficina encarregada da manutenção das bombas de combustíveis. Caso seja comprovada a participação da oficina na fraude, é revogada sua autorização de manutenção de bombas de combustíveis.

Contato