EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em minhas-financas / consumo

Quase 150 transportadoras devem pagar R$ 846 milhões em multas

O ministro do STF, Alexandre de Moraes, estipulou penalidade de R$ 100 mil por hora às empresas que mantivessem veículos bloqueando o tráfego de estradas pelo país 

Greve caminhoneiros
(Marcelo Pinto/APlateia)

SÃO PAULO - A AGU (Advocacia-Geral da União) apresentou ao STF (Supremo Tribunal Federal) uma nova relação de 46 transportadoras que descumpriram a decisão do ministro Alexandre de Moraes determinando a desobstrução de rodovias durante a paralisação de caminhoneiros.

Na petição entregue na noite de terça-feira (5), a AGU cobra R$ 506,5 milhões das empresas. Com os R$ 339,5 milhões que já eram cobrados de outras 96 transportadoras, o valor total que deverá ser pago pelas companhias já chega aos R$ 846 milhões e 142 empresas

As multas têm caráter judicial e estão baseadas em liminar concedida pelo ministro Alexandre de Moraes – que estipulou penalidade de R$ 100 mil por hora às empresas que mantivessem veículos bloqueando o tráfego de estradas pelo país. As infrações foram constatadas pela Polícia Rodoviária Federal. 

Moraes já estabeleceu um prazo de 15 dias para as empresas incluídas nas primeiras relações encaminhadas pela AGU para o STF pagarem voluntariamente R$ 208,5 milhões que são cobrados delas. Caso isso não ocorra, os bens das companhias poderão ser bloqueados.

Contato