Em minhas-financas / consumo

Polícia prende estrangeiro que aplicava golpe do "real negro"

No golpe, o criminoso diz aos possíveis clientes que, ao passar uma substância química, a tinta desaparece e o dinheiro pode ser usado tranquilamente

Notas de 50 e 100 reais
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Policiais civis do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) prenderam um camaronês com uma nova faceta do golpe da máquina de fazer dinheiro: o real negro. Ele foi detido, na tarde de sexta-feira  (25), na zona sul da capital paulista e os apetrechos utilizados para enganar as vítimas foram apreendidos.

O esquema foi descoberto pela equipe da 2ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Estelionato e Crimes contra a Fé Pública. Segundo o Delegado Mauro Fachini, uma das vítimas teria perdido R$ 120 mil. "O golpe é muito bem feito. As vítimas acreditam que o dinheiro é verdadeiro”, disse o Delegado.

No golpe, o criminoso diz aos possíveis clientes que, ao passar uma substância química, a tinta desaparece e o dinheiro pode ser usado tranquilamente. A polícia passou a investigar a ação do golpista. Os policiais conseguiram identificar o camaronês, de 37 anos, como responsável pelo esquema, que foi preso por estelionato.

Veja imagem das notas usadas no golpe: 

real_negro

 

Contato