EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em minhas-financas / consumo

Sem combustível, estabelecimentos "fazem delivery" a cavalo; veja vídeo

Com a paralisação dos caminhoneiros, estabelecimentos tentam inovar em suas ações de marketing

Entregas a cavalo Saideira do Brasil
(Reprodução/Facebook)

SÃO PAULO - Em meio à paralisação dos caminhoneiros, que já dura oito dias, estabelecimentos que realizam entregas em São Paulo e no Distrito Federal tentaram alternativas para driblar a falta de combustível e ainda, inovar em suas campanhas de marketing. 

Com capacete e mochilas típicas dos motoboys, cavaleiros chamaram a atenção das pessoas nas ruas de Pinheiros, em São Paulo, na última sexta-feira (25). O vídeo viralizou no Twitter. "Fizemos uma ação para divulgar a empresa, para falar que estamos buscando uma solução para atender os nossos clientes", contou ao InfoMoney Bernardo Antunes, proprietário da empresa de entrega de bebidas Saidera Brasil.

Os cavalos, de um haras de Itapecerica, foram utilizados apenas para a ação de marketing durante uma hora e "foram tomados todos os cuidados necessários para que eles fossem bem tratados". Além disso, a empresa afirma que foram contratados cavaleiros para não colocar em risco os funcionários. 

Segundo Antunes, a greve tem afetado o serviço devido à falta de combustível. "Cada dia que passa o número de motoqueiros diminui. Tínhamos uma frota de 60 motoqueiros, agora estamos com seis”, disse. De acordo com a empresa, os cavalos foram utilizados por uma hora e "foram tomados todos os cuidados necessários para que eles fossem bem tratados".

Em Platina, no Distrito Federal, uma hamburgueria também decidiu testar a nova forma de entrega. A 389 Burguer conseguiu dois cavalos emprestados em um haras da região e fez cerca de 20 entregas para testar a ideia. "Pediu, chegou. Peça seu 389 que entregamos para você rapidinho", publicou no Instagram. 

 

Pediu chegou!!! Peça seu 389 que entregamos pra você rapidinho.??????#cavaloboy #389burger #foto #mangalargamarchador

Uma publicação compartilhada por aquiles França (@aquiles_monteiro) em

 

Contato