Em minhas-financas / consumo

Proteste avaliou 6 marcas de cafeteiras expressas; veja quem se saiu melhor

Os critérios usados no teste foram segurança elétrica, segurança térmica, manual de instruções, versatilidade, dimensões, consumo, facilidade de uso e desempenho

xícara de café
(Shutterstock)

 SÃO PAULO – As cafeteiras expressas vêm se popularizando no Brasil nos últimos anos e, entre dezembro de 2015 e o mesmo mês de 2016, foram vendidas cerca de 2,5 milhões dessas máquinas no país. A Proteste testou as seis marcas mais vendidas do mercado, cinco com cápsulas e uma com pó.

 Os modelos testados foram Nespresso C60, Nespresso Prodigio, Arno Movenza, Delta Q Evolution, Três Corações Versa e Oster BVSTECMP55. Os critérios usados no teste foram segurança elétrica, segurança térmica, manual de instruções, versatilidade, dimensões, consumo, facilidade de uso e desempenho.

 Apesar de todos serem versáteis, a marca Oster é a única que tem o tubo para a função de vapor, além da função de fazer dois cafés ao mesmo tempo. Dos manuais, o mais completo foi o da Nespresso C60.

 Os resultados, segundo a associação, mostram produtos fáceis de usar, que gastam pouca energia e preparam bons cafés, ainda que alguns saiam com pouca espuma e não tão quentes. Outro aspecto positivo é a segurança: nenhum produto apresentou risco de choque elétrico ou queimaduras.

 Outra boa notícia é que todos os modelos testados são fáceis de limpar. A Delta Q Evolution se saiu um pouco a baixo nessa avaliação por não ter especificado como fazer essa operação. Além disso, as máquinas não usam muita energia. O teste apontou um gasto de R$ 0,50 a R$ 1,80 por mês em eletricidade, dependendo do uso.

 Na avaliação de velocidade, foram tirados dois expressos e medido o tempo de preparo, contando com o aquecimento da água. Os tempos médios contados para o preparo do primeiro e do segundo café foram um minuto e trinta segundos, respectivamente, dentro do sugerido pela Abic (Associação Brasileira da Indústria do Café).

 Quanto à temperatura, apenas a Nespresso C60 foi bem avaliada. A máquina preparou os dois cafés dentro da temperatura adequada (entre 64°C e 70°C). Uma forma de verificar se o café foi bem tirado da máquina é o creme espesso e duradouro que se forma sobre ele. Nesse teste, a Nespresso C60 também foi a melhor avaliada.

 O Grupo SEB do Brasil, responsável pela marca Arno, informou ao InfoMoney que "desconhece os procedimentos usados para teste dos produtos, e reitera que todas as suas máquinas de multibebidas respeitam as regras do Inmetro (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo) de segurança e qualidade".    

Os outros fabricantes foram contatados pelo InfoMoney, mas não se posicionaram sobre a pesquisa até o momento. 

 

Contato