Em minhas-financas / consumo

Intenção de consumo das famílias sobe em setembro

A queda no preço dos alimentos e bebidas está entre os motivos que auxiliam na manutenção do consumo das famílias

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) subiu 0,9% em setembro ante agosto, para 121,9 pontos, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), nesta quinta-feira, 18. Trata-se do terceiro resultado positivo consecutivo, o que reflete uma "estabilidade" após a sequência de quedas registrada no primeiro semestre deste ano. Apesar disso, o índice ainda está 3,4% abaixo do observado em setembro do ano passado.

 

Para a CNC, a queda no preço dos alimentos e bebidas está entre os motivos que auxiliam na manutenção do consumo das famílias. "A desaceleração no preço dos alimentos e bebidas gera alívio para o orçamento das famílias e, consequentemente, mais espaço para o consumo de outros bens", afirma a instituição, por meio de nota.

 

O índice permanece acima da zona da indiferença (100,0 pontos), indicando nível favorável de consumo, mas a confederação pondera que a percepção das famílias ainda não está totalmente recuperada. "É importante perceber que os indicadores seguem mais baixos na comparação com 2013. Este aumento indica apenas uma estabilidade, já que não houve grandes alterações na economia."

 

Na comparação mensal, seis dos sete indicadores pesquisados no ICF aumentaram, com exceção de "compras a prazo" (-0,6%), que atingiu o menor valor da série histórica devido ao elevado custo de acesso a crédito. Na base anual, entretanto, apenas o nível de consumo atual sobe (+0,1%), enquanto o momento para duráveis tem o pior resultado (-11,2%). A pesquisa nacional Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é um indicador antecedente que tem como objetivo antecipar o potencial das vendas do comércio a partir das avaliações de 18 mil brasileiros.

 

Tudo sobre:  Consumo   CNC  

Contato