EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em minhas-financas / consorcios

Participantes de consórcios crescem 10% em novembro, diz Abac

Número de participandes ativos passou de 5,13 milhões para 5,64 milhões de consorciados entre os anos de 2012 e 2013

Soluções financeiras | Consórcio de Imóveis
(Divulgação)

SÃO PAULO - O número total de participantes ativos do sistema de consórcios apresentou crescimento na ordem de 10% em relação ao mesmo mês de 2012, passando de 5,13 milhões para 5,64 milhões de consorciados, de acordo com o levantamento da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac).  O número foi puxado principalmente pelo setor de veículos leves, que cresceu 25% em números de participantes ativos no período, registrando alta de 8,3% nas vendas.

As novas cotas somaram 2,29 milhões nos onze primeiros meses de 2013, ficando praticamente estável ante os 2,28 registrados no mesmo período do ano passado, enquanto as contemplações aumentaram 1,8% e evoluíram de 1,12 milhão de janeiro a novembro de 2012, para 1,14 milhão no mesmo período do ano anterior.

Para a associação, ao iniciar 2014 com alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reajustadas em até dois pontos percentuais nos preços repassados aos veículos leves, e com nova previsão de aumento em julho, o setor automotivo poderá experimentar um novo comportamento do consumidor no momento de adquirir seu automóvel. Assim, o sistema de consórcios espera uma maior procura nas administradoras em razão de oferecer parcelas menores e prazos mais longos.

Avaliação positiva para 2013
Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC, avalia 2013 como um dos melhores dos últimos anos, considerando os números parciais disponibilizados até o momento. "Especialmente pela confiança e credibilidade demonstradas pelos consumidores, registradas inclusive pelos R$ 75 bilhões em volume de créditos comercializados, que superaram em 56% o total de R$ 48 bilhões, movimentado há cinco anos, em 2009”, completa.

Para ele, tomando por base a educação financeira, cuja meta é propiciar informações e orientações aos consumidores e investidores sobre a utilização e administração consciente e equilibrada dos seus ganhos e gastos pessoais ou familiares, os consórcios se inserem como opção interessante, na medida em que favorece não somente o consumo responsável como a formação a ampliação patrimonial a baixo custo.

“Ao se planejar financeiramente, sem endividamentos excessivos e, principalmente com oportunidade de realizar objetivos, mensalmente por sorteio ou oferecendo lance, os consorciados têm optado pelo consórcio como uma poupança com objetivo definido e meio de construção ou ampliação de patrimônio pessoal, familiar ou empresarial”, afirma.

Contato