Como declarar prejuízos com ETFs no Imposto de Renda 2023?

Contribuinte precisa selecionar a aba de renda variável e preencher informações mês a mês

Equipe InfoMoney

Publicidade

Dúvida de leitor: Declarei em ‘Dívidas e Ônus’ o valor de 33 ETFs de Bova11 de uma operação short que virei o ano com elas (2021 para 2022). Depois, em 2022, fiz a compra dos ETFs para fechar a operação, mas fiquei no prejuízo. O que devo fazer agora na declaração de 2023?

Resposta de Marcia Ruiz Alcazar e Adriana Ruiz Alcazar*

“Primeiro, declare as ETFs na ficha de ‘Bens e Direitos’ da Declaração de IR e não na ficha de ‘Dívidas e Ônus Reais’.

Na ficha ‘Bens e Direitos’ utilize o grupo ’07 – Fundos’, e selecione o ‘Código 09 – Demais Fundos de Índice de Mercado (ETFs)’.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do InfoMoney)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Especifique o nome e o CNPJ do ETF e a quantidade de cotas. Descreva os valores nos campos ‘Situação em 31.12.2021 e 2022’, nas datas discriminadas.

Repita a operação até incluir todos os ETFs disponíveis na sua carteira de investimentos no ano-calendário da declaração.

Para declarar o ganho de capital/prejuízo dos ETFs negociados, selecione a ficha ‘Renda Variável’, depois a opção ‘Operações Comuns/Day-Trade’. Depois de selecionar o mês em que a operação foi realizada, informe o ganho líquido recebido ou prejuízo obtido na venda do ETF.

Continua depois da publicidade

Depois digite o valor recolhido no momento da venda no campo ‘Imposto Pago’. Repita a operação até incluir todas as operações realizadas em cada mês do ano-calendário de 2022. Nos meses em que não ocorreu alienação de ETF, deixe zerado.”

*Marcia Ruiz Alcazar é sócia-diretora da Seteco. Contadora com MBA em Gestão Executiva Internacional pela FIA/USP, atua no segmento há 30 anos. Foi presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRCSP), na gestão 2018-2019. Na Seteco é responsável pelo relacionamento com clientes e desenvolvimento de novos projetos.

*Adriana Ruiz Alcazar é sócia-diretora da Seteco. Contadora com especialização na área Tributária/Fiscal e mais de 30 anos de experiência. Na Seteco responde pela área operacional e de relacionamento com clientes para os segmentos tributário, fiscal, trabalhista e contábil.

LEIA MAIS