Em minhas-financas / carros

Arrojado, Kicks é um tiro certeiro da Nissan no mercado de SUV; confira teste

Urbano por natureza, carro preza pelo conforto do condutor e acerta em design

SÃO PAULO – Há algum tempo, a montadora japonesa Nissan vem tentando reposicionar sua marca e seus produtos entre o público brasileiro. Se antes, muitos dos carros tinham uma feição um pouco mais careta e conservadora, agora o foco da empresa é em mostrar carros mais arrojados e uma feição mais moderna e esportiva – e o carro-chefe da estratégia é seu novo SUV, o Nissan Kicks.

O carro, que foi o veículo oficial dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro nesse ano, ganhou publicidade massiva e teve seu lançamento global justamente no Brasil, país onde o mercado de SUV se mostra resiliente mesmo em tempos de crise para o setor automotivo como um todo. O InfoMoney testou o lançamento da montadora japonesa em sua versão completa, a SL, e conta, a seguir, suas impressões.

 

O exterior do Kicks por si chama bastante atenção. Ele não conta com uma feição parruda que muitos veículos da mesma categoria apresentam. Ao invés disso, o visual acaba passando uma forte impressão esportiva, com traseira levemente inclinada e grade frontal e faróis no novo padrão da marca.

Ao conduzir o carro, fica a impressão que o motor 1.6 flex poderia ser um pouco mais forte, especialmente quando combinado com seu câmbio automático CVT, no entanto, ele consegue dar conta do recado na cidade sem sobressaltos. Para a estrada, fez muita falta a função de piloto automático, presente em carros de categorias inferiores.

Urbano por natureza, o SUV prima no quesito conforto ao condutor. Tanto a ergonomia do banco do motorista é boa, como também o isolamento de ruídos externos dentro do carro. Adicionalmente, o carro é bastante macio e se comporta bem mesmo nas ruas mais esburacadas, o que conta como um forte ponto positivo frente a seus concorrentes.

A central multimídia também funciona bem, apesar de que poderia ser mais intuitiva. No entanto, uma vez dominada, ela responde bem ao motorista. Um dos grandes pontos do carro são suas câmeras de ré e 360 graus, que permitem uma visão como se fosse de cima dele, o que facilita muito a vida de qualquer pessoa ao balizar. Sensores frontais de colisão viriam bem a calhar, mas não estão presentes na versão mais completa.

O espaço interno oferece bastante conforto para pessoas de altura mediana, mas para os mais altos pode ser uma viagem mais desconfortável, especialmente no banco de trás. O porta-malas, por sua vez, conta com um volume de 432 litros.

Outro grande ponto positivo do carro é seu consumo de combustível. Ao longo dos testes, o carro chegou a marcar média de mais de 12 km/L com gasolina na cidade, marca de dar inveja em sua categoria. O Kicks peca em pequenas questões de acabamento, mesmo em sua versão completa. As luzes internas, por exemplo, poderiam ser mais refinadas e os espelhos nos quebra-sóis poderiam contar com luzes, uma vez que de noite ficam praticamente inutilizáveis.

Atualmente, apenas a versão completa está disponível no mercado e sai por um valor de R$ 89 mil. Futuramente, o Kicks deverá ser oferecido em suas versões mais básicas também e, apesar dos pequenos pecados, conta com tudo para se popularizar no disputado mercado brasileiro de SUV.

 

Contato