Setor Food Service

Aumento dos custos é a principal ameaça às franquias de alimentação

De acordo com o estudo da ABF, o impacto do custo da mão de obra se tornou um desafio para o setor

SÃO PAULO – Apesar de ter crescido 18% em faturamento em 2012, na comparação com o ano anterior, as redes de franquias no setor de alimentação teve no aumento dos custos sua principal ameaça para o desenvolvimento, revelou o balanço anual do setor feito pela ABF (Associação Brasileira de Franchising) e ECD, consultoria especializada em FoodService.

De acordo com o levantamento, o impacto do custo da mão de obra se tornou um desafio para o setor. “O preço da matéria-prima, de ocupação (aluguel e taxas) e com a mão de obra tem pressionado muito a lucratividade das empresas”, afirmou o coordenador do Grupo Setorial de Redes de Alimentação da ABF, João Baptista Jr. Além disso, as taxas para renovação de contratos em shoppings e demais centros de compra também subiram em média 9%.

Para reverter essa situação, o executivo da ECD Food Service e coordenador da pesquisa, Enzo Donna, conta que muitas empresas estão se esforçando para reter seus funcionários. “Cerca de 70% das redes têm algum programa de incentivo ao desempenho e 100% têm programas de treinamento intensivo com aumento da frequência da capacitação.”

PUBLICIDADE

Outra preocupação do setor, que pode, inclusive, impedir sua expansão é a complexa política tributária do País. “A diferenciação de taxas por Estado pode inibir o crescimento das redes”, ressalta Baptista.

Todos os respondentes reclamaram do aumento de preços das matérias-primas, especialmente em hortifrúti (59%), carne bovina (56%) , queijos (41%) , embalagens (37%), aves (34%) e leite (32%).

Desempenho das redes
A pesquisa apontou um crescimento de 18% no faturamento das redes, destacando o bom desempenho do segmento de comida variada (16%) , doceria/sorveteria (29%) e pizzas e massas (47%) . “Estes setores tiveram um forte crescimento devido à agressiva abertura de lojas no período em que a pesquisa foi realizada”, diz Baptista.

Otimismo
A maioria dos empresários está otimista com o setor e pretende inaugurar mais de nove mil lojas até 2016. As boas perspectivas não são por menos. “O setor de alimentação é um dos mais consolidados do franchising. “É o primeiro em número de redes, com 573 em operação no Brasil, o segundo maior faturamento, apresentando R$ 20 bilhões, além de ser também o que gera mais emprego”, afirma a presidente da ABF, Cristina Franco.

“Em 2012, o sistema de franquias na área de alimentação manteve seu vigor em termos de crescimento, confirmando as expectativas do mercado com o sucesso neste modelo de negócio”, ressalta João Baptista Jr., coordenador do Grupo Setorial de Redes de Alimentação da ABF.

Segundo ele, o setor continua otimista e prevê continuar crescendo em 2013. A expectativa dos empresários é de crescer 13% em 2013. Como um todo, o setor de franquias cresceu 16,2% no ano passado e faturou mais de R$ 100 bilhões. 

PUBLICIDADE

A pesquisa teve a participação de 42 marcas associadas à ABF que correspondem a 4.306 unidades de franquias, ou 33% das que operam no mercado. Sem considerar as lojas inauguradas em 2012, o faturamento das redes cresceu 11% em 2012.