Apple lançará cartão de crédito em parceria com o Goldman Sachs

A novidade vai acelerar a diversificação de receitas e compensar a desaceleração do crescimento de venda de iPhones   

Giovanna Sutto

Publicidade

SÃO PAULO – A Apple anunciou que lançará seu primeiro cartão de crédito em parceria com o banco de investimentos Goldman Sachs, segundo informações do The Wall Street Journal (WSJ).

A novidade vai acelerar a diversificação de receitas e compensar a desaceleração do crescimento de venda de iPhones. O Goldman iniciou suas atividades no varejo em 2016 ao lançar seu banco digital “Marcus”.

Um diferencial do novo cartão será a disponibilização da funcionalidade “wallet” (carteira digital), que funciona como uma espécie de conta corrente, na qual o aplicativo permitirá que o cliente fixe limites de despesa, defina metas, acompanhe os pagamentos e administre as contas.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do InfoMoney)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O banco também precisa de novas fontes de receita e busca aumentar seus empréstimos ao consumidor para compensar quedas em seus negócios comerciais.

O cartão Apple Pay vai ter a bandeira da Mastercard, e os usuários poderão receber “cashback” de cerca de 2% para a maioria das compras. Especula-se que potencialmente poderão também gerar crédito para serviços e compras de aparelhos da Apple. 

A expectativa da empresa de Cupertino é que a divisão de serviços passe a representar cerca de 20% das receitas até 2020 (algo em torno de US$ 50 bilhões), sendo que hoje responde por 15%, além de atingir a marca de 500 milhões de assinantes pagos, contra os atuais 360 milhões.

Continua depois da publicidade

Os cartões serão distribuídos aos funcionários para testes nas próximas semanas e serão lançados ainda este ano.

Invista seu dinheiro para realizar seus maiores sonhos. Abra uma conta na XP – é de graça. 

A Apple não respondeu imediatamente ao pedido de posicionamento do jornal e o Goldman Sachs se recusou a comentar.

O banco já começou a adicionar call centers de apoio ao cliente e a construir um sistema interno para lidar com pagamentos, um projeto que pode custar US$ 200 milhões ao banco. 

Giovanna Sutto

Repórter de Finanças do InfoMoney. Escreve matérias finanças pessoais, meios de pagamentos, carreira e economia. Formada pela Cásper Líbero com pós-graduação pelo Ibmec.