Em minhas-financas / aposentadoria

Aposentadoria: perdeu o prazo da prova de vida? Veja o que fazer

A comprovação de vida, também conhecida como Renovação de Senha ou, ainda, Fé de Vida, é um procedimento obrigatório 

planejando-aposentadoria
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Os aposentados, pensionistas e demais beneficiários do INSS que não fizeram comprovação de vida há mais de um ano terão os benefícios suspensos. Caso tenha perdido o prazo, é preciso tomar algumas atitudes para não correr o risco de ficar sem o pagamento.

O primeiro e mais importante passo é ir, o quanto antes, ao seu banco pagador para regularizar a situação e reativar o pagamento, pois se o beneficiário não fizer a comprovação, o benefício é suspenso e, após um período, é cessado.

É importante esclarecer que o procedimento de comprovação de vida continua sendo realizado normalmente ao longo do ano. Esse prazo final, amplamente anunciado, foi realizado com o propósito de convocar todos aqueles que não fizeram a prova de vida há mais de um ano.

Além disso, cada instituição financeira trata a data para comprovação de vida da forma mais adequada à sua gestão. Existem bancos que utilizam a data do aniversário do beneficiário, outros utilizam a data de aniversário do benefício, e ainda há aqueles que convocam o beneficiário um mês antes do vencimento da última comprovação de vida realizada.

O mais importante a destacar é que toda pessoa que recebe benefício do INSS precisa fazer a comprovação de vida anualmente.

Invista seu dinheiro e garanta um futuro tranquilo. Clique aqui e abra sua conta na Rico

Comprovação
A comprovação de vida, também conhecida como Renovação de Senha ou, ainda, Fé de Vida, é um procedimento obrigatório e visa a dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, evitando pagamentos indevidos de benefícios. 

O procedimento é obrigatório para todos os beneficiários do INSS que recebem seus pagamentos por meio de conta corrente, conta poupança ou cartão magnético, inclusive para aqueles que recebem benefícios assistenciais.

No ano passado, 112.729 benefícios foram suspensos ou cessados, gerando uma economia de R$ 1,2 bilhões. 

 

Contato