"Eles antecipam tudo"?

Você acredita? Gráfico do Ibovespa Futuro mostra quem será o próximo presidente

Para o analista Wagner Caetano, diretor da Top Traders e do Terminal Cartezyan, já é possível ver pelos gráficos o resultado do segundo turno: "os gráficos antecipam tudo"

SÃO PAULO – A análise técnica busca capturar nos movimentos passados do mercado tendências que devem se repetir no futuro. Por muitos anos, analistas vêm estudando os gráficos para pautar suas operações. Mas, será que os gráficos seriam tão precisos e poderosos assim para conseguir prever quem será o próximo presidente? Baseado na premissa de que o Ibovespa deve subir em uma vitória de Aécio Neves (PSDB) e cair em caso de reeleição de Dilma Rousseff (PT), o analista Wagner Caetano, diretor da Top Traders e do Terminal Cartezyan, diz que sim. 

Para ele, há seis bons argumentos para dizer antes do resultado do 2° turno quem deverá ser o próximo presidente do Brasil. “Os gráficos antecipam tudo, até mesmo quem será o próximo presidente”, disse.

Um dos fundamentos da análise técnica é que o mercado desconta tudo. Ou seja, todos os fatores que afetam o mercado já estariam no preço (como cenário macroeconômico, político e os fundamentos) e, consequentemente, tudo com o que os investidores deveriam se importar já estaria no movimento dos preços. Diante dessa colocação, Caetano indica: “o gráfico do mini-índice futuro mostra que Aécio será o próximo presidente”.  

PUBLICIDADE

Comprar na baixa e vender na alta: saiba como colcar esta teoria em prática

Segundo ele, os argumentos estão formados nos gráficos. “Com as pesquisas eleitorais indicando a tendência de crescimento das intenções de votos na candidata Dilma e aumento da rejeição de Aécio, o mercado precifica uma vitória para a situação, com as ordens de venda na maioria das ações do Ibovespa, porém os gráficos indicam o contrário”, comenta. 

Confira abaixo os seis sinais que mostram que Aécio será eleito no domingo, segundo Caetano:

1 – O mini-índice (WINZ14) tocou no pregão de ontem uma LTA (Linha de Tendência de Alta) que impulsionou a forte alta no segundo semestre de 2013 e o último fundo marcado este ano no início do rali eleitoral. Na véspera, o Ibovespa caiu 3,24%. 

2 – Entre os dias 20 e 21 (segundo e terça-feira), o mercado formou um “GAP” (espaço sem negociação) de baixa no mini-índice, que dificilmente fica aberto no mercado futuro; uma eleição da situação não teria força compradora suficiente para que este “GAP” fosse fechado, comenta. 

3 – Ações com peso no índice como Petrobras (PETR3; PETR4), Itaú Unibanco (ITUB4), Banco do Brasil (BBAS3), Bradesco (BBDC3; BBDC4) e BM&FBovespa (BVMF3), por exemplo, fecharam todos os “GAPs” de alta que tinham deixado entre o fechamento do dia 3 e a abertura do dia 6 de outubro, após o primeiro turno; algumas fizeram ontem, mas têm “GAPs” somente acima dos valores atuais. 

PUBLICIDADE

4 – As ações da Vale (VALE3; VALE5) e siderúrgicas Usiminas (USIM5), CSN (CSNA3) e Gerdau (GGBR4), que geralmente saem na frente e antecipam movimentos, estavam sob domínio comprador na quinta-feira

5 – O dólar está armando uma forte figura de queda chamada de “topo duplo”, lembrando que ele trabalha na mão inversa das ações. Ou seja, quando a Bolsa sobe, normalmente o dólar cai.

6 – Investidores estrangeiros estão aproveitando a baixa e comprando contratos de índice futuro.

Veja, agora, abaixo os gráficos traçados por Wagner Caetano:

– Mini Ibovespa Futuro

 

– Mini Dólar