Vale (VALE3) aprova revisão de política de sucessão do presidente

Vale disse que o processo de sucessão deve ser iniciado entre quatro e seis meses antes do vencimento do prazo de gestão (mandato) do presidente

Reuters

(Shutterstock)

Publicidade

O conselho de administração da Vale (VALE3) aprovou em reunião no dia 1º de dezembro uma revisão na política de sucessão do presidente da mineradora, segundo ata do encontro publicada nesta terça-feira pela companhia.

Em comunicado separado, a Vale disse que o processo de sucessão deve ser iniciado entre quatro e seis meses antes do vencimento do prazo de gestão (mandato) do presidente.

O mandato do CEO atual da Vale, Eduardo Bartolomeo, vence em maio de 2024, segundo a empresa.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Caso a deliberação do conselho seja pela manutenção do presidente em exercício, a consequente renovação do seu prazo de gestão e de contrato será realizada em comum acordo com o mesmo, segundo informações da política de sucessão aprovada.

De acordo com a Vale, se houver deliberação do conselho pelo início do processo sucessório, deve-se realizar a contratação de empresa de padrão internacional, reconhecida por sua expertise na seleção de executivos globais.

O conselho deverá considerar os candidatos internos mapeados no processo sucessório da companhia para o processo de seleção e avaliação.

Continua depois da publicidade

A Vale afirmou ainda que o presidente da companhia será selecionado entre os nomes propostos em lista tríplice elaborada pela empresa de seleção de executivos, entre outros procedimentos.

O objetivo da política é assegurar a perenidade dos negócios da companhia, considerando as melhores práticas de governança corporativa e a legislação vigente, disse a Vale.