RADAR INFOMONEY Vale (VALE3) pagará R$ 4,26 em dividendos e JCP; Minerva sobe pós-balanço; Assaí e PDA se separam

Vale (VALE3) pagará R$ 4,26 em dividendos e JCP; Minerva sobe pós-balanço; Assaí e PDA se separam

After Market

Vale quer liberar US$ 76 mi para Samarco; Fibria nega compra da Eldorado e mais notícias no radar

Confira os principais destaques corporativos da noite desta quinta-feira (29)

(Divulgação)

SÃO PAULO – O noticiário corporativo da noite desta quinta-feira (29) tem destaque para duas das maiores empresas da bolsa, com a novidades envolvendo a Vale e a Petrobras. Enquanto isso, a Fibria comentou sobre uma possível aquisição da Eldorado. Confira:

Vale (VALE3; VALE5)
A Vale informou que pretende disponibilizar à Samarco linhas de crédito de curto prazo de até US$ 76 milhões para apoiar suas operações no segundo semestre de 2017, sem que isso configure uma obrigação da Vale para com a Samarco.

A Samarco, joint venture da Vale com a anglo-australiana BHP Billiton, está com suas operações interrompidas desde novembro de 2015, quando uma de suas barragens de rejeitos se rompeu, deixando 19 mortos, centenas de desabrigados e poluindo o rio Doce, que deságua no mar do Espírito Santo.

Em comunicado ao mercado, a mineradora explicou que os fundos serão liberados à medida que forem necessários e que a BHP Billiton também pretende tornar disponível para Samarco linhas de crédito de curto prazo em termos e condições similares.

Adicionalmente, a Vale informou que é provável que os acionistas da Samarco sejam chamados a cumprir obrigações de um acordo assinado em 2 de março de 2016 para restauração do meio ambiente e das comunidades afetadas pela ruptura da barragem.

“Por conseguinte, a Vale estima contribuir em torno de US$ 174 milhões no segundo semestre de 2017. Esta quantia será descontada da provisão de R$ 3,7 bilhões registrada no segundo trimestre de 2016”, informou a mineradora.

Fibria (FIBR3)
A Fibria informou nesta quinta-feira que não há qualquer negociação atualmente envolvendo potencial parceria da empresa com a chilena a Arauco para compra de participação na produtora de celulose Eldorado Brasil, do grupo J&F.

“Não há qualquer tratativa neste momento em relação a eventual sociedade com a Arauco para uma potencial operação de aquisição direta ou indireta de ações da Eldorado Brasil”, afirmou a Fibria em comunicado ao mercado.

A Fibria, maior produtora de celulose de eucalipto do mundo e que possui uma fábrica vizinha à Eldorado em Três Lagoas (MS), fez o comentário após ser questionada pela B3 a respeito de reportagem do jornal O Estado de S. Paulo que cita possível parceria da empresa com a Arauco para investimento na Eldorado.

PUBLICIDADE

A companhia informou ainda que seus acionistas controladores, Votorantim SA e BNDESPar, também citaram que não há quaisquer tratativas envolvendo parceria da Fibria com a Arauco.

Petrobras (PETR3; PETR4)
A Petrobras informou nesta quinta-feira que dará início à nova fase no processo de venda do campo de Juruá, na Bacia de Solimões, quando investidores interessados e já habilitados receberão cartas-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo as orientações para a realização de “due diligence” e para o envio de propostas.

“Neste projeto em particular não está prevista a realização da fase não vinculante, conforme faculta a sistemática para desinvestimentos aprovada pela diretoria executiva da Petrobras, que está alinhada às orientações do Tribunal de Contas da União (TCU)”, afirmou a estatal em um comunicado.

Cielo (CIEL3)
A Cielo informou que o valor definitivo por ação dos Juros sobre Capital Próprio relativos ao primeiro semestre de 2017 é R$ 0,119918341, totalizando R$ 325.300.000,00, sujeitos à retenção de impostos aplicáveis a cada caso.

Os JCP líquidos de imposto de renda serão pagos aos acionistas no dia 29 de setembro, com base na posição acionária desta quinta-feira (29), com as ações sendo negociadas na forma “ex” a partir do ida 30 de junho.

(Com Reuters e Agência Estado)