Bolsa

Vale cai 3% e faz pressão no Ibovespa, que oscila de olho em Grécia; dólar cai

Índice tem desempenho volátil em dia D para a Grécia e o dólar recua forte em dia de definição da ptax

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa zera ganhos com pressão negativa da Vale, que cai após desvalorização de mais de 3% do minério. Mais cedo a Bolsa chegou a disparar 350 pontos em 8 minutos com pedido de programa de resgate por dois anos realizado pela Grécia. As bolsas dos EUA sobem com a informação. Hoje é um dia decisivo para a Grécia, já que é a data de vencimento da dívida de 1,7 bilhão de euros que o país tem com o FMI (Fundo Monetário Internacional). O índice brasileiro também reflete o plano de negócios da Petrobras e, principalmente, a negativa do presidente da companhia, Aldemir Bendine, de que a estatal vá realizar um aumento de capital via emissão de ações. 

Às 12h15 (horário de Brasília), o benchmark da Bolsa brasileira registrava leve alta de 0,07%, a 53.052 pontos. Enquanto isso, o dólar comercial recua 0,42%, a R$ 3,1051 na compra e a R$ 3,1064 na venda. Hoje é dia de fechamento da ptax, quando comprados e vendidos na moeda norte-americana tentam fazer o câmbio subir ou cair dependendo da sua posição. Como hoje é ptax semestral, a volatilidade associada a este movimento é ainda mais forte, de modo que as cotações da divisa podem não corresponder perfeitamente a fundamentos econômicos. 

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 cai 12 pontos-base, a 13,95% ao ano, ao passo que o DI para janeiro de 2021 cai 8 pontos-base, a 12,68% depois que Tony Volpon disse que o Banco Central não está mecanicamente focado em colocar inflação em 4,5% em 2016 em suas projeções oficiais. O objetivo é que meta esteja “satisfatoriamente assegurada”, segundo informações do Valor Econômico. 

Do lado dos indicadores nacionais, o setor público brasileiro registrou um déficit nominal de R$ 59,8 bilhões em maio. Enquanto isso, a dívida líquida do País ficou em 33,6% do PIB (Produto Interno Bruto). O déficit primário foi de R$ 6,9 bilhões, dentro das estimativas dos analistas consultados pela pesquisa Bloomberg, que esperavam um resultado negativo em R$ 7 bilhões. 

Às 13h00 haverá entrevista com a presidente Dilma Rousseff (PT) e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que estão em reunião esta semana para definir uma série de acordos comerciais. Entre eles, a abertura do mercado norte-americano às exportações de carne brasileiras. 

Ações em destaque
As ações da Petrobras (PETR3, R$ 13,97, -0,57%; PETR4, R$ 12,69, -0,47%) viraram para queda depois de operarem em alta por conta da divulgação do plano da estatal. Hoje o HSBC elevou a recomendação para a companhia de “reduzir” para “manutenção”. O presidente da companhia, Aldemir Bendine, disse que “o plano superou as expectativas em relação ao dever de casa” e que a Petrobras está confortável com a sua necessidade de financiamento para os próximos anos. Sobre um possível reajuste, o presidente afirmou que não está previsto um aumento nos preços no curto prazo, apesar da defasagem dos valores no mercado doméstico.

As ações dos frigoríficos Marfrig (MRFG3, R$ 5,64, 0,00%) e JBS (JBSS3, R$ 16,15, +1,38%) também sobem hoje, na esteira do anúncio da liberação dos Estados Unidos à importação da carne bovina brasileira in natura. A medida encerra uma restrição praticada há 15 anos e favorece 95% da agroindústria exportadora brasileira. Segundo o BTG Pactual, a notícia é positiva para todos os frigoríficos brasileiros. Para a equipe de análise do banco, a liberação dos EUA à importação poderá facilitar a entrada do produto em outros mercados rentáveis como Canadá, México, Japão e Coreia do Sul. Eles preveem que a exportação inicial aos EUA será de 40 milhões de toneladas, com potencial de 100 milhões de toneladas no longo prazo.  

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 ESTC3 ESTACIO PART ON17,79+3,43-23,999,44M
 CIEL3 CIELO ON43,20+2,20+25,8164,00M
 KROT3 KROTON ON11,85+1,72-23,1940,68M
 CESP6 CESP PNB19,87+1,64-7,145,83M
 SBSP3 SABESP ON16,25+1,63-2,555,77M

 

PUBLICIDADE

 

Também do lado das altas aparecem as ações das educacionais aparecem entre as maiores altas do Ibovespa nesta sessão depois de fortes quedas nos últimos dias. Na Bolsa, destaque para Kroton (KROT3, R$ 11,84, +1,63%) e Estácio (ESTC3, R$ 17,80, +3,49%). 

No radar, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação publicou nesta terça-feira portaria que prorroga para 20 de julho o prazo para a renovação semestral dos contratos de financiamento concedidos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) que venceria hoje. Segundo portaria publicada no Diário Oficial da União, a renovação pode ser feita para contratos simplificados e não simplificados do primeiro semestre. O mesmo prazo vale para a realização de transferência integral de curso ou de instituição de ensino, de acordo com a portaria.

As ações da Vale (VALE3, R$ 18,46, -3,85%; VALE5, R$ 15,76, -3,02%) caem, acompanhando as perdas do minério de ferro. A commodity spot no porto de Qingdao teve queda de 3,17%, a US$ 59,35. A Austrália reduziu suas expectativas para os preços do minério de ferro, citando o mercado de aço fraco na China, enquanto prevê uma queda de 11% na receita com a exportação de recursos no atual ano fiscal. “A produção de aço da China deve encolher em 2015 e 2016, enquanto a oferta de minério de ferro transportada por navios aumenta”, o que deve reduzir os preços, afirmou em relatório o departamento de indústria e ciência. O minério de ferro foi cotado a US$ 60,50 a tonelada na segunda-feira, segundo a provedora de dados The Steel Index.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 BRAP4BRADESPAR PN10,64-3,97-21,7310,69M
 VALE3VALE ON18,47-3,80-12,9132,91M
 GOAU4GERDAU MET PN6,43-3,45-42,615,59M
 VALE5VALE PNA15,77-2,95-14,76175,11M
 GGBR4GERDAU PN7,54-2,71-20,2721,36M

 

Dia D da Grécia
Enquanto isso, na Europa, o dia é de leves quedas, com o DAX caindo 0,43%, o FTSE caindo 0,61% e o CAC 40 tem baixa de 0,36%. Os contatos de última hora estão sendo realizados entre Atenas e Bruxelas nesta terça-feira para tentar alcançar um acordo sobre os termos do resgate para a Grécia, afirmou uma autoridade do país, poucas horas antes de o pacote expirar. “Existem iniciativas”, disse a autoridade, sem dar mais detalhes.

A Grécia entrou com um pedido para um plano de resgate de dois anos. Mais cedo, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, fez uma oferta de última hora a Atenas para um acordo com o objetivo de conter a crescente crise que ameaça o futuro da Grécia no euro, mas até agora não houve resposta oficial do governo. O ministro das Finanças alemão Wolfgang Schaeuble, disse que a Grécia deve permanecer na zona do euro. 

PUBLICIDADE

A situação de instabilidade na Grécia é tão forte que o governo do país estabeleceu um controle de capitais que limita o saque de dinheiro em caixas eletrônicos para 120 euros por pessoa esta semana. A medida, junto com o decreto de feriado bancário esta semana, serve para impedir uma corrida bancária que causasse uma crise de liquidez para o sistema financeiro so país.