Mercado

Uber tem prejuízo de US$ 5,24 bilhões, pior resultado da história

Segundo a empresa, a maior parte deste resultado se deu por conta de sua política de remuneração de funcionários e diretores via ações

arrow_forwardMais sobre
Pessoa segurando um celular com o aplicativo do Uber aberto
App do Uber

SÃO PAULO – A Uber desapontou o mercado com seu resultado do segundo trimestre, reportando um prejuízo de US$ 5,24 bilhões, enquanto analistas esperavam uma perda de US$ 3,30 bilhões no período. Com isso, os papéis da companhia chegaram a desabar mais de 12% no after market da bolsa de Nova York.

A receita da empresa também frustrou as expectativas ao ficar em US$ 3,17 bilhões (a projeção era de US$ 3,36 bilhões). Este foi o pior resultado da história da empresa.

“Acreditamos que 2019 será o nosso ano de pico de investimento e acreditamos que, em 2020, 2021, você verá o prejuízo diminuir”, disse a CEO Dara Khosrowshahi em uma entrevista para a CNBC. “Não tenho dúvidas de que o nosso negócio se tornará um negócio rentável e lucrativo”.

PUBLICIDADE

Segundo a empresa, a maior parte deste resultado se deu por conta de sua política de remuneração de funcionários e diretores via ações. Se não fosse por esta política, a Uber teria um prejuízo de US$ 1,3 bilhão entre abril e junho, cerca de 30% pior do que no trimestre anterior.

Por um lado, o número de usuários ativos cresceu 30%, para 99 milhões de pessoas por mês. Por outro, a Uber gastou 247% a mais do que no mesmo período do ano passado, ou US$ 8,6 bilhões. Neste cenário, o faturamento no trimestre não cresceu na mesma proporção, apenas 14%, para US$ 3,2 bilhões.

A companhia de transporte abriu seu capital em maio deste ano com bastante turbulência para as ações. Na ocasião, fundadores das concorrentes 99 e Easy, disseram ao InfoMoney que a Uber teria de repensar seu negócio em meio a este cenário de prejuízo, ou então, para sobreviver, teria que aumentar o seu preço.