Indústria

Tupy (TUPY3) lucra 28,9% a menos no 4º trimestre, com falta de semicondutores e outros insumos

Resultado foi impactado pela desaceleração da cadeia de fornecimento, decorrente da falta de semicondutores e outros insumos

Por  Felipe Moreira

A Tupy (TUPY3) registrou lucro líquido de R$ 61,1 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), montante 28,9% inferior ao registrado no mesmo trimestre de 2020.

“O resultado foi impactado pela desaceleração da cadeia de fornecimento dos clientes, decorrente da falta de semicondutores e outros insumos”, explica a empresa.

Os volumes seguem a trajetória de recuperação, apresentando no 4T21 crescimento de 34% em relação ao mesmo período do ano anterior, decorrente da aquisição das plantas de Betim e Aveiro, que representaram cerca de 31 mil toneladas no período.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado cresceu 9,9% no último trimestre do ano passado, totalizando R$ 203,8 milhões.

Já a margem Ebitda ajustado atingiu 9,9% no período, uma retração de 4,7 p.p. frente a margem registrada em 4T20.

A receita líquida somou R$ 2,059 bilhões entre outubro e dezembro do ano passado, alta de 62,1% na comparação com igual etapa de 2020.

Mais dados do balanço da Tupy (TUPY3)

O lucro bruto totalizou R$ 304,9 milhões no 4T21, um aumento de 40,3% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

A margem bruta atingiu 14,8% no último trimestre de 2021, baixa de 2,3 p.p. na comparação anual.

O resultado financeiro líquido foi uma despesa de R$ 30,7 milhões no quarto trimestre de 2020, uma redução de 67,2% sobre as perdas financeiras do mesmo período de 2020.

A companhia apresentou geração de caixa no valor de R$ 301 milhões oriunda das atividades operacionais, aumento de 18% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O resultado foi impactado, entre outros fatores, pelo recebimento líquido de R$ 79 milhões no âmbito de ação judicial movida contra a Eletrobrás que visa a recuperação de juros e correção sobre empréstimo compulsório.

Investimentos & endividamento

O total de investimentos nos ativos imobilizado e intangível foi de R$ 116 milhões no 4T21, ante R$ 40 milhões no 4T20, sendo que a base de comparação foi afetada pela postergação de investimentos decorrente da pandemia de COVID-19.

A dívida líquida da companhia ficou em R$ 1,3 bilhão no final de dezembro de 2021, crescimento de 67,22% em relação ao mesmo período de 2020.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 1,53 vez em dezembro/21, um aumento de 0,21 vez em relação ao mesmo período de 2020.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe