Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Trade hoje: Ibovespa segue próximo à suporte e com baixo volume, aponta análise técnica

Após renovar máxima histórica no final do ano passado, Ibovespa acumula perdas em 2024, até o momento

Rodrigo Petry

Publicidade

O Ibovespa segue acumulando perdas em 2024, que somam quase 2%, mesmo após avançar 0,4% na véspera, indo aos 131,5 mil pontos – depois de variar entre a máxima dos 131,6 mil pontos e a mínima dos 130,25 mil pontos.

Conforme analistas técnicos, a Bolsa brasileira segue operando com baixo volume financeiro e menor volatilidade neste começo de ano, após renovar as máximas históricas no final do ano passado, ao superar os 134,39 mil pontos.

Para Gilberto Coelho, analista da XP, o Ibovespa segue próximo da média de 21 dias e em tendência de alta no longo prazo. “Acima dos 132.000 teria projeções nos 134.300 ou 140.000. Abaixo dos 129.890 pode corrigir na direção dos 128.000 a 125.500”, aponta.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Coelho reforça que o Índice de Força Relativa (IFR) favorece uma possível recuperação, mas o baixo volume dos últimos dias da Bolsa traz indefinições no curto prazo.

Fonte: Relatório análise técnica XP

Trade hoje: Ibovespa próximo da resistência

Os analistas do Itaú BBA, Fábio Perina, Lucas Piza e Igor Caixeta, destacam que o Ibovespa registrou na véspera uma combinação de baixo volume de negociação e pouca volatilidade, em comparação à média negociada.

“Neste cenário, não vimos o Índice Bovespa quebrar nenhuma barreira importante. O índice ainda permanece na região de suporte em 130.700 pontos, que é crítica no curto prazo, pois, se perdida, poderá estender o movimento de realização de lucros até o próximo suporte em 126.400 pontos – patamar que mantém o índice em tendência altista”, escreveram.

Do lado da recuperação, acrescentaram, o Ibovespa precisa se afastar dessa região – dos 130,7 mil pontos – e caminhar em direção à primeira resistência, nos 132.000 pontos. “Acima desta, o próximo desafio será a superação da máxima de dezembro, em 134.400 pontos”, completam.

Confuso sobre o que é suporte e o que é resistência? Confira nosso guia sobre análise técnica

Os especialistas ressaltam que o Ibovespa fechou a última semana próximo da região de suporte e “sem sinais mais concretos de retomada do movimento altista”. 

“Um cenário de realização de lucros vindo dos índices americanos pressionaria o índice, nessa região de suporte, podendo levar a mais uma semana de realização de lucros.”

Fonte: Broadcast. Elaboração: Itaú BBA

Para o analista técnico da Genial, Igor Graminhani, o Ibovespa segue em formação de bandeira de alta, traçada em em azul no gráfico diário abaixo. 

“Se fechar acima de 131.600 pontos, irá validar essa bandeira com primeiro alvo na máxima histórica que fica em 134.390 pontos”, aponta.

Além disso, ele acrescenta que os próximos objetivos ficam nas projeções de Fibonacci referente a última pernada de alta em 139.840 e 143.215 pontos. 

Por fim, os próximos suportes estão marcados nos 130.850 (MME21), 125.565 e 124.840 pontos.

Fonte: Nelogica. Elaboração: Genial

Confira aqui mais conteúdos do InfoMoney sobre análise técnica!