Varejista

Track&Field (TFCO4) quer crescer além do Sudeste; ações sobem mais de 5% após balanço

Hoje, das 300 lojas da varejista, 193 estão no Sudeste, abrindo espaço para ampliação por outros Estados e cidades,

Por  Felipe Alves -

As ações da Track&Field (TFCO4) fecharam com alta de 5,83% no pregão quarta-feira (23) após divulgar balanço com lucro líquido de R$ 35,1 milhões no quarto trimestre, representando uma alta de 67,7% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

Com 300 lojas operando em todo o Brasil, a Track&Field (TFCO4) quer expandir por todo o país sua atuação. Hoje, das 300 lojas, 193 estão no Sudeste, abrindo espaço para ampliação por outros Estados e cidades, diz Fernando Queiroz Tracanella, diretor financeiro e de relações com investidores da Track&Field.

No 4TRI21 a companhia registrou recorde de abertura de lojas, foram 18 em apenas um trimestre. “Continuamos com a perspectiva de expandir o número de lojas em 2022”, afirmou o CEO Frederico Wagner. As declarações aconteceram por conta da teleconferência de resultados.

No ano de 2022 a companhia vai iniciar a remodelação das lojas, inspiradas na experience store do Shopping Iguatemi. De seis a oito lojas deverão ser remodeladas neste modelo em 2022, além de novas franquias que vão aderir a vários dos conceitos deste novo modelo.

No 4TRI21, 245 das lojas da Track&Field estavam operando com “pick up store/ship from store”, com entrega super expressa de até 2 dias úteis. Hoje são 251. O objetivo é ampliar cada vez mais essa facilidade para o consumidor.

Resultado do 4º trimestre

Conforme o CEO, Frederico Wagner, os principais fatores para os resultados do 4º trimestre foram o crescimento das vendas, a ampliação do projeto omnichannel, a volta dos eventos no 4T21 e a expansão de novas lojas (número recorde, com 18 aberturas no 4TRI21).

Tracanella acrescentou que a ampliação do mercado endereçável foi uma das grandes alavancas do período, muito impactado por tendências estruturais e com o consumidor mais preocupado com saúde.

“Tivemos sucesso no rollout da omicanilidade em 2020 e 2021, com crescimento muito grande de vendas captadas pelo e-commerce. Começamos o ano com percentual de omni em 14% e terminaram 4T21 com 56%”, afirmou.

Inflação

Com antecipação de estoques durante a pandemia, o CEO da Track&Field (TFCO4), Frederico Wagner, afirma que não há grandes impactos da alta da inflação nos preços dos produtos da empresa.

Segundo ele, como a Track & Field tem pouca dependência de importação e parcerias de longo prazo com grandes fornecedores, esses fatores ajudam a conter as altas inflacionárias percebidas no Brasil e no mundo. Porém, nos lançamentos de inverno já houve impacto nos preços de vendas, mas não de forma substancial, diz o CEO.

Margens

Tracanella destacou ainda que a Track&Field conseguiu preservar suas margens em 2021 mesmo em um ambiente de pressão de custos. Ele vê uma mudança de patamar da margem Ebitda em relação a 2019. A margem Ebitda subiu de 18,2% no 4TRI19 para 25,9% no 4TRI21.

“Acreditamos que há tendência positiva daqui para a frente, com possibilidade de diminuir custos fixos e despesas”, afirmou. Ao comemorar o recorde do lucro líquido do 4TRI21 e de 2021, Fernando ressaltou que a Track&Field está bastante otimista para 2022 mesmo frente às dificuldades do cenário externo.

Análise do balanço da Track&Field (TFCO4)

Para o BofA, a Track&Field (TFCO4) está se beneficiando da interrupção da cadeia de suprimentos da concorrência, destacando que, apesar das comparações difíceis, apresentou vendas fortes. “A Track&Field relatou força contínua no top-line (receitas), apesar de enfrentar comparações cada vez mais difíceis”, sublinhou o banco.

“O desempenho da empresa, no contexto de uma difícil comparação de vendas de +36,3% no ano anterior e maior normalização no escritório, evidencia uma execução excepcional”, ressaltou.

“Ela também parece estar se beneficiando da interrupção da cadeia de suprimentos rival e da consolidação do setor. Além disso, percebemos que os consumidores estão emergindo da pandemia com hábitos de vida mais saudáveis e uma maior orientação para o autocuidado e o exercício, e acreditamos que o forte design e merchandising da TFCO estão bem posicionados para se beneficiar”, acrescentou a análise.

O BofA ainda destacou a digitalização, “bem como um esforço de venda social cuidadosamente concebido, empregando instrutores profissionais”.

A recomendação é de compra, com preço-alvo de R$ 17,00.

Mais um conjunto sólido

Para o Itaú BBA, a Track&Field registrou mais um conjunto de resultados sólidos e de alta qualidade no 4T21. Analistas do banco comentaram que os resultados da varejista superaram as expectativas de rentabilidade tanto em nível de margem bruta quanto de margem Ebitda, mantendo as fortes tendências dos últimos trimestres.

Os resultados foram marcados por sólido crescimento do top-line; estratégia de precificação assertiva e menos promoções no nível de lucro bruto, gerando um ganho de margem bruta de 300 bp vs. 4T19; e o impacto positivo da alavancagem operacional, gerando uma margem Ebitda 270 bps acima das expectativas do BBA

O Itaú BBA mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 18.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe