Processo

Tether e Bitfinex são multadas em mais de US$ 42 milhões por órgão regulador dos EUA

Segundo a CFTC, a Tether mentiu sobre ter todas as suas reservas em dólar, enquanto a Bitfinex envolveu-se em “transações ilegais de commodities”

SÃO PAULO – A Comissão para Negociação de Futuros de Commodities dos Estados Unidos (CFTC, na sigla em inglês) multou nesta sexta-feira (15) a Bitfinex e a Tether em mais de US$ 42 milhões por conta de informações “falsas ou enganosas” em relação à stablecoin USDT.

Segundo o órgão regulador de commodities, a Tether mentiu ao dizer que tinha todas as suas reservas em dólar, sendo que, de acordo com a CFTC, isso só ocorreu em um quarto do tempo durante os 26 meses analisados entre 2016 e 2018.

Além disso, a Tether juntou fundos de reserva com os fundos corporativos da empresa e manteve reservas que não estavam em dinheiro. A exigência pelas irregularidades é de uma multa de US$ 41 milhões.

O gabinete do procurador-geral de Nova York relatou descobertas semelhantes em uma investigação sobre o Tether e Bitfinex encerrada no início deste ano.

“A ordem também conclui que, em vez de manter todas as reservas de token do USDT em dólares americanos conforme representado, a Tether confiou em entidades não regulamentadas e certos terceiros para manter os fundos que compõem as reservas”, disse o comunicado à imprensa.

A CFTC também levantou acusações contra a empresa-mãe iFinex por conta de crimes ligados à sua corretora de criptomoedas, a Bitfinex.

Segundo a comissão, a exchange envolveu-se em “transações ilegais de commodities do varejo fora da corretora”, além de operar como comerciante de comissão de futuros sem ser registrada na reguladora.

A Bitfinex vai pagar US$ 1,5 milhão e instituir “sistemas adicionais” para garantir que não facilite as transações ilegais de commodities novamente, disse o comunicado da CFTC.

A Tether divulgou um comunicado rebatendo as alegações, destacando que “não há nenhuma conclusão de que os tokens de Tether não foram totalmente garantidos em todos os momentos – simplesmente que as reservas não estavam todas em dinheiro e todas em uma conta bancária intitulada em nome de Tether, em todos os momentos”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em uma declaração separada, a comissária da CFTC Dawn Stump disse que concordava com as conclusões do órgão, mas expressou preocupação sobre o papel dela na regulamentação de stablecoins.

“Devemos procurar garantir que o público entenda que não regulamos stablecoins e não temos uma visão diária dos negócios daqueles que os emitem”, disse Stump. “Mas, ao buscar e resolver essa questão, damos aos usuários de stablecoins uma falsa sensação de conforto de que estamos supervisionando aqueles que emitem e vendem essas moedas de forma que estejam protegidos de transgressões?”.

Até onde vai o Bitcoin? Especialista da Levante dá aula gratuita sobre o futuro da criptomoeda. Clique aqui para assistir