PREGÃO AO VIVO

TEMPO REAL: China impulsiona Vale e siderúrgicas, Oi desaba 5% e Kroton avança

Acompanhe aqui a atualização dos principais destaques da Bovespa nesta terça-feira

Por  Paula Barra

11h47: Gradiente (IGBR3, -5,36%, R$ 5,30)
As ações da Gradiente caem forte nesta sessão. A SportPro, credora da IGB Eletrônica, dona da marca Gradiente, conseguiu na Justiça a penhora de bens da companhia, que está em recuperação extrajudicial, de acordo com decisão da Justiça em meados do mês de junho. A SportPro entrou com um processo contra a dona da marca Gradiente antes do plano de recuperação. A credora foi colocada no processo tendo que receber um valor de R$ 500 mil, enquanto teria que receber R$ 8 milhões por serviços prestados à companhia.

11h36: Oi (OIBR4, -4,62%, R$ 1,86)
As ações da Oi (OIBR4) voltam a desabar em meio à derrocada dos papéis da Portugal Telecom diante de riscos de investimentos. Hoje os papéis da operadora portuguesa caíram 10% para a mínima de 17 anos e meio, continuando a ser pressionadas pelos potenciais efeitos nocivos do seu investimento na dívida do Grupo Espírito Santo, segundo operadores. Vale mencionar que essa é a terceira queda seguida das ações da Oi. 

A Portugal Telecom, que tem como maior acionista o Banco Espírito Santo (BES), confirmou na semana passada que investiu em notas promissórias da Rioforte, do Grupo Espírito Santo, antes da fusão da operadora portuguesa com a brasileira Oi, o que foi visto como um foco potencial de riscos reputacionais. Na segunda-feira, a Portugal Telecom esclareceu que tem uma exposição total ao Grupo Espírito Santo de 897 milhões de euros em notas promissórias da Rioforte.

11h32: João Fortes (JFEN3, -3,81%, R$ 4,80)
A João Fortes (JFEN3) cai nesta sessão. A empresa, que tem baixa liquidez na Bolsa, anunciou ontem que seu conselho de administração aprovou na véspera a venda da totalidade das ações de emissão da Shopinvest Empreendimentos e Participações para a Gaster Participações, cujo principal acionista é o FIP da Serra, atual controlador da JFE (diretamente com 55% das ações da companhia, e indiretamente, através da própria Gaster, que possui 18% dos papéis da empresa).  Em comunicado, a João Fortes aponta que a venda foi realizada a valor de mercado, com base em laudos de avaliação elaborados por empresas especializadas. O pagamento será realizado em até 45 dias.

11h30: Vale e siderúrgicas
As ações da Vale (VALE3; VALE5) e siderúrgica ganham força no pregão desta terça-feira, repercutindo positivamente dados da indústria chinesa. O PMI industrial chinês avançou. Na leitura do CFLP, o índice PMI da indústria subiu a 51 em junho, de 50,8 em maio, ante previsão de avanço a 51,1. É a maior leitura do ano do índice oficial, igualando a marca registrada em dezembro de 2013. Já o PMI industrial medido pelo HSBC subiu a 50,7 na leitura final de junho, de 49,4 em maio, ficando ligeiramente abaixo da leitura preliminar, de 50,8. É a primeira vez que o indicador encerra um mês de 2014 mostrando melhora da atividade.

Neste momento, as ações ordinárias da mineradora registravam alta de 1,92%, a R$ 29,80, enquanto as preferenciais avançavam 1,44%, a R$ 26,73. A Bradespar (BRAP4), holding que detém participação na Vale, avançava 1,83%, a  R$ 20,62, no mesmo horário. Entre as siderúrgicas, Usiminas (USIM5), Gerdau (GGBR4) e CSN (CSNA3) operavam com ganhos de 1,85%, 1,62%, e 1,49%, respectivamente, a R$ 7,72, R$ 13,15 e R$ 9,54.

Para a mineradora, repercute positivamente também a alta de 0,4% do preço do minério de ferro, enquanto as siderúrgicas reagem ainda ao anúncio feito na véspera pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que manteve a alíquota reduzida do IPI, lembrando que o setor automotivo é um dos grandes clientes das siderúrgicas. A continuidade da tarifa menor foi anunciada após o ministro se reunir com representantes da Anfavea. As montadoras têm sofrido com alto nível de estoques e reduziram em 18% a produção de veículos nas linhas de montagem em maio, na comparação com o mesmo mês de 2013.

10h37: Concessionárias
Os papéis das concessionárias de rodovias sobem neste pregão, depois de notícia de que o governo de São Paulo deve encontrar dificuldades para manter os reajustes de pedágio deste ano abaixo da inflação se caso seguir para a Justiça. Ontem, a CCR (CCRO3), Ecorodovias (ECOR3) e Arteris (ARTR3) manifestaram descontentamento com o reajuste da Artesp e informaram que tomariam as medidas necessárias para reverter a decisão. Nesta sessão, as ações das empresas registravam ganhos de 1,33% e 1,52%, a R$ 18,24, a R$ 15,37, respectivamente. A exceção era a Arteris, que operava estável, sendo cotada a R$ 18,40. 

10h32: Qualicorp (QUAL3, -1,30%, R$ 25,76)
As ações da Qualicorp aparecem como uma das maiores quedas do Ibovespa nesta sessão, após ter sido rebaixada pelo Bank of America Merrill Lynch. O banco de investimentos cortou a classificação de compra para neutra.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

10h28: Kroton (KROT3, +0,89%, R$ 62,51)
A Kroton (KROT3), que foi a melhor ação do primeiro semestre no Ibovespa, com valorização de 58,68%, opera em alta hoje depois de informar que seu conselho de administração aprovou programa de recompra envolvendo até 5.236.265 ações da companhia, representativas de 2,5% de suas ações em circulação no mercado. Segundo ata da reunião realizada nesta terça-feira, o novo programa valerá pelo próximo ano, encerrando em 30 de junho de 2015.

Compartilhe