Taxas de juros têm viés de baixa antes de arrecadação e leilão do Tesouro

O mercado mostra reação limitada às entrevistas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o presidente Lula

Estadão Conteúdo

Além da taxa de juros acima de 13%, crise no SBV marcaram trimestre. Foto: Pixabay

Publicidade

Os juros futuros operam perto da estabilidade na manhã desta terça-feira, 23, mas renovaram mínimas e exibem viés de baixa, com investidores à espera dos números da arrecadação federal de dezembro (10h30) e do leilão de NTN-F e LFT (11h). O mercado mostra reação limitada às entrevistas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No programa Roda Viva, Haddad disse que uma eventual revisão da meta de déficit zero traçada para 2024 não foi discutida recentemente com o presidente Lula, mas pontuou que “houve desidratação” das medidas apresentadas pelo governo ao Congresso.

Já o presidente reforçou em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador, a promessa de isenção de Imposto de Renda a salários de até R$ 5 mil até 2026 e voltou a defender a cobrança sobre dividendos. De acordo com o presidente, contudo, tal compromisso é difícil, pois o governo terá que abrir mão de dinheiro e rearranjar seus gastos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Às 9h14, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2025 estava na mínima de 10,070%, de 10,079% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2027 marcava 9,980%, de 9,987%, e o para janeiro de 2029 estava em 10,410%, de 10,413%.