Romi (ROMI3) lucra R$ 36,1 milhões no 1º tri de 2023, alta 18% na base anual

Companhia divulgou resultados nesta noite desta terça-feira (18)

Felipe Moreira

Publicidade

A Indústrias Romi (ROMI3) estreou a temporada de resultados nesta terça-feira (18) na Bolsa brasileira com lucro líquido de R$ 36,1 milhões no primeiro trimestre de 2023 (1T23), montante 18,4% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022.

O resultado líquido ajustado no 1T23 foi positivo em R$ 30,1 milhões, representando uma leve queda de 1,5% em relação ao lucro líquido do 1T22, devido ao maior volume de variação cambial apurado no 1T22, reflexo do comportamento do câmbio.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 45,4 milhões no 1T23, um crescimento de 13,3% em relação ao 1T22.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A margem Ebitda (Ebitda sobre receita) ajustada atingiu 17,5% entre janeiro e março deste ano, alta de 3,5 pontos percentuais (p.p.) frente a margem registrada em 1T23.

A receita líquida somou R$ 259,2 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma redução de 9,2% na comparação com igual etapa de 2022, devido à redução do faturamento de peças de grande porte da Unidade de Negócio Fundidos e Usinados.

A margem bruta no 1T23 foi de 33%, apresentando crescimento de 3,1 p.p. em relação ao mesmo período de 2022, com destaque para as Unidades de Negócio Máquinas ROMI e Máquinas B+W. O lucro operacional também apresentou crescimento de 1,9 p.p.

Continua depois da publicidade

A carteira de pedidos no 1T23 atingiu R$ 569,9 milhões, uma redução de 28% em relação ao 1T22.

Os investimentos somaram R$ 21,4 milhões no 1T23, uma redução de 7,3% na base anual.