,

Resumo Diário

,

arrow_forwardMais sobre

Em um dia de forte volatilidade na bolsa brasileira, o Ibovespa voltou a fechar em queda, após chegar a subir 0,83% no pregão desta quinta-feira ancorados nos dados positivos da agenda econômica dos EUA. Desta forma, o benchmark da bolsa registrou queda de 0,26%, aos 59.316 pontos. O giro financeiro foi de R$ 7,42 bilhões.

O índice virou para o negativo após a agência de classificação de risco Standard & Poor’s revisar a perspectiva de rating para o Reino Unido para negativa. De acordo com a agência, o Reino Unido pode perder o seu status de “triple A” dentro de dois anos, em um cenário que aponta para deterioração fiscal pior do que esperada.

“Nós acreditamos que isso possa ocorrer em particular como resultado de uma recuperação econômica atrasada e lenta”, avalia a S&P. Este rebaixamento indica que há uma chance em três do Reino Unido seja rebaixado nos próximos dois anos caso as performances econômica e fiscal sejam abaixo das expectativas da agência.

Altas e baixas
Dentre as ações que marcaram as maiores altas do índice, estiveram a Hypermarcas dispararam 5,76%, aos R$ 16,52, após a empresa aprovar a cisão parcial das ações da Braga Holding, seguida por sua incorporação. As da JBS tiveram ganhos de 5,42%, aos R$ 5,84.

Na ponta oposta, o destaque fica por conta das ações das companhias de papel de celulose. As ações da Klabin e Fibria tiveram fortes quedas, seguidas pelos papéis da B2W, após registrar quatro altas seguidas. Além disso, as atenções também se voltaram para as ações das empresas de frigorífico, que reduziram os fortes ganhos da manhã em meio às notícias do embargo chinês às carnes brasileiras.

Indicadores nos EUA
Às 11h30, quando os EUA divulgaram uma série de indicadores econômicos, o Ibovespa mostrou alguma reação, mas logo se reverteu em queda. O país revelou que os pedidos de auxílio-desemprego na semana terminada no dia 8 vieram melhores que as expectativas – o número de 343 mil é inferior aos 375 mil projetados.

Já as vendas no varejo, com alta de 0,3% em novembro, vieram praticamente em linha com o avanço de 0,4% projetado. Os preços ao produtor recuaram 0,8%, uma queda um pouco mais forte do que se estimava, em 0,5%. Além disso, os EUA anunciaram os estoques das empresas, em linha com o esperado pelo mercado.

Dólar
O dólar comercial fechou em alta de 0,40% e terminando a R$ 2,0838 na venda.

Renda Fixa
O contrato de juros de maior liquidez nesta quinta-feira, com vencimento em janeiro de 2014, fechou aos 7,06%, com queda de 0,02 ponto percentual em relação à sessão anterior.

PUBLICIDADE

No mercado de títulos da dívida externa, o título brasileiro mais líquido, o Global 40, fechou em queda de 0,04%, a 126,61% do valor de face. Já o indicador de risco-País fechou com queda de três pontos-base, aos 146 pontos ante 148 pontos da sessão anterior, registrando baixa de 1,35%.