Rumo (RAIL3) tem queda de 90,4% do lucro líquido no 2º trimestre de 2022, para R$ 30 mi

"Esse resultado ainda reflete negociações comerciais em um momento desfavorável, por conta da quebra de safra do milho em 2021", afirmou

Equipe InfoMoney

Publicidade

A Rumo (RAIL3), companhia de logística dos mesmos controladores da Cosan (CSAN3), registrou lucro líquido de R$ 30 milhões de abril a junho de 2022, queda de 90,4% ante mesma etapa de 2021.

O lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado chegou a R$ 1,2 bilhão, 4,8% a mais em um ano, mas a margem Ebitda (Ebitda sobre receita líquida) encolheu 3 pontos percentuais, para 48,6%.

“Esse resultado ainda reflete negociações comerciais em um momento desfavorável, por conta da quebra de safra do milho em 2021”, afirmou a Rumo. A companhia também citou a alta de 42% do preço do combustível.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Além disso, o efeito da alta de juros provocou uma piora de 68,5% do resultado financeiro, para um número negativo de R$ 592 milhões.

A dívida líquida da empresa fechou junho em R$ 9,57 bilhões, queda de 0,2% na base sequencial, com a alavancagem financeira em 2,7 vezes, estável na mesma comparação.

O volume transportado no trimestre somou 18,6 bilhões de toneladas equivalentes (TKU), volume 4,1% maior do que um ano antes, com o avanço de 20,2% da Operação Norte compensando a queda de 19,6% na Operação Sul, afetada pela quebra de safra. Também beneficiada pela expansão de 6,2% nas tarifas, a receita líquida subiu 11,2% ano a ano, a R$ 2,465 bilhões.

Continua depois da publicidade

O custo fixo e as despesas gerais, comerciais e administrativas subiram 19,4% ano contra ano, principalmente em função da ampliação na operação da Malha Central e do rateio de custos corporativos, que segue a representatividade de cada operação no volume.

O custo variável cresceu 35,3%, em razão do maior volume e do aumento do preço do combustível, de 40%, apesar da melhora de 6% da eficiência energética.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.