Regra contábil dos EUA pode transformar empréstimos ruins em ganhos

Medida deve “adicionar” alguns bilhões aos resultados das instituições financeiras; JPMorgan teria mais US$ 29,1 bilhões

Por  Equipe InfoMoney

SÃO PAULO – Um regra contábil em vigor nos Estados Unidos deve transformar empréstimos ruins em renda, fazendo com que instituições possam “adicionar” mais alguns bilhões em seus resultados trimestrais.

Um bom exemplo desse caso é o JPMorgan, que pode ter mais US$ 29,1 bilhões devido aos chamados accretable yield (diferença entre o valor contábil e o fluxo de caixa esperado) de empréstimos do Washington Mutual, adquirido em setembro passado.

Beneficiadas

O resultado seria o mesmo para instituições como o Wells Fargo, Bank of America e PNC Financial Services, que poderão se beneficiar da compra do Wachovia, Countrywide Financial e National City, que combinados forneceriam mais US$ 56 bilhões.

A medida que o governo procura novas saídas para desafogar o mercado imobiliário e reaquecer os empréstimos, os bancos que ainda se mantiveram de pé começam a receber o retorno de seus investimentos em instituições que estavam à beira da falência.

Compartilhe