Reino Unido

Rainha Elizabeth II aprova suspensão do Parlamento britânico

As atividades parlamentares ficarão suspensas entre 11 se setembro e 14 de outubro, pouco antes da data marcada para o Brexit

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após pedido feito nesta manhã pelo primeiro-ministro Boris Johnson, a rainha Elizabeth II deu permissão para fechar o Parlamento por cerca de cinco semanas.

Com isso, as atividades parlamentares ficarão suspensas entre 11 se setembro e 14 de outubro, pouco antes da data marcada para o Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia).

A iniciativa de Johnson torna mais difícil que parlamentares consigam aprovar leis que evitem um Brexit sem acordo. Desde que assumiu o cargo, há pouco mais de um mês, o premiê britânico reforça que o Reino Unido deixará a UE em 31 de outubro com ou sem acordo.

PUBLICIDADE

A suspensão também servirá para programar o chamado “Discurso da Rainha”, que serve para apresentar os planos do governo. “Precisamos seguir em frente com nossa agenda doméstica e é por isso que estamos anunciando o Discurso da Rainha para 14 de outubro”, disse Johnson à imprensa britânica.

No texto em que fez o pedido, Johnson afirma que “a decisão de encerrar a atual sessão parlamentar – a mais longa em quase 400 anos e uma das menos ativas nos últimos meses – permitirá ao primeiro-ministro apresentar um novo programa nacional aos deputados para debate e escrutínio”.

Apesar de críticas de que o Parlamento não terá condições de tentar evitar um Brexit sem acordo, Johnson disse que haverá “bastante tempo” para os legisladores debaterem o Brexit.

Para Anna Soubry, líder do partido Grupo Independente pela Mudança, Johnson está “deliberadamente fechando o Parlamento para impedir que os representantes eleitos do povo façam” seu trabalho.

Já o porta-voz da Câmara dos Comuns, John Bercow, classificou a medida como um “ultraje constitucional”. “É óbvio que o objetivo de [suspender o Parlamento] agora seria parar [parlamentares] de debater o Brexit e de cumprir seu dever de moldar um curso para o país”, afirmou.

Mais cedo, logo após o pedido de Johnson, o mercado reagiu forte, com a libra esterlina caindo forte até US$ 1,2155, sua mínima do dia. A moeda, porém, se recuperou, e às 12h25 (horário de Brasília) recuava 0,50%, cotada a US$ 1,2226.

PUBLICIDADE

(Com Agência Estado e ANSA Brasil)

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos