Radar: comece o pregão sabendo as novidades do cenário corporativo

Vale vai criar joint venture com a sua subsidiária Vale Fertilizantes a fim de explorar terminal portuário em Santos

Publicidade

SÃO PAULO – Com os investidores focados no noticiário econômico e na agenda de resultados dos EUA, os principais mercados de ações mais uma vez registram trajetória instável nesta sexta-feira (15).

O impasse político sobre o limite de endividamento da maior economia do mundo continua; agora a vez da agência de classificação de risco Standard & Poor’s ameaçar rebaixar a nota da dívida norte-americana.

Além disso, os investidores também repercutem as declarações do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmando que – por enquanto – não serão implantadas novas medidas para estimular a economia dos EUA. Por fim, o mercado também acompanha a a temporada de resultados corporativos, com destaque para a divulgação dos números do Citigroup.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Vale vai explorar terminal portuário
A Vale (VALE3, VALE5) anunciou na última quinta-feira um acordo com a sua subsidiária Vale Fertilizantes (FFTL4) para constituição de uma joint venture com o objetivo de explorar um terminal portuário no porto de Santos.

A participação da Vale nessa parceira será de 51%. A companhia vai pagar R$ 150 milhões à sua subsidiária, além de realizar um aporte de capital de R$ 432 milhões para o financiamento do plano de investimentos do terminal portuário.

Usiminas arrenda direitos de mineração
Também na véspera, a Usiminas (USIM3, USIM5) anunciou o arrendamento de direitos minerários da empresa MBL Materiais Básicos, na região de Serra Azul, em Minas Gerais. O prazo desse arrendamento é de 30 anos ou até o esgotamento das reservas, estimadas em 145 milhões de toneladas.

Continua depois da publicidade

A Usiminas vai pagar US$ 7,50 por tonelada lavrada na área, podendo haver reajuste de acordo com a variação internacional do preço da commodity. Ademais, a empresa também deverá pagar US$ 12,50 por tonelada na aquisição de um estoque de 6 milhões de toneladas e o acordo ainda prevê a liberação de 253 milhões de toneladas de reservas nas áreas já pertencentes à Usiminas, vizinhas a área areendada.

Citi corta preço-alvo para Cosan
Nesta sexta-feira, os analistas do Citigroup cortaram o preço-alvo fornecido para as ações da Cosan (CSAN3), que passou de R$ 33,00 para R$ 32,00.

Na comparação com a cotação do último fechamento, o novo preço-alvo representa um upside (potencial teórico de valorização) de 32,34% para esses ativos. Já a recomendação para as ações da Cosan segue como compra.

Segundo os analistas Juan Tavarez e Felipe Koh, a redução no preço-alvo para as ações da Cosan aconteceu por conta de um ajuste nas estimativas para a companhia, realizado em função de novas projeções para o preço e para a produção de cana de açúcar.