Produtos de investimento em criptomoedas captam recorde de US$ 1,47 bilhão na semana

Para CoinShares, aval regulatório a ETF impulsionou outros produtos de investimento em criptomoedas, com destaque para o Bitcoin

Paulo Barros

(Bianca Holland/Pixabay)

Publicidade

SÃO PAULO – Fundos e outros produtos de investimento expostos a criptomoedas atingiram um novo recorde de captação semanal de US$ 1,47 bilhão, segundo um relatório da CoinShares.

Esta é a décima semana de saldo positivo em investimentos no setor, alimentada pela recente máxima histórica do Bitcoin (BTC). O valor é mais do que o dobro do recorde anterior, de US$ 640 milhões, registrado em fevereiro de 2021, dois meses antes de o BTC bater o então topo de quase US$ 65 mil.

Produtos expostos a criptomoedas agora acumulam US$ 8 bilhões de entrada de capital em 12 meses, bem acima dos US$ 6,7 bilhões do período anterior. Empresas que negociam os produtos agora registram um total de US$ 76,7 bilhões em ativos sob gestão.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A maior fatia desse montante segue alocada em produtos da Grayscale, líder do segmento cripto, com US$ 54,6 bilhões sob gestão. Nesta terça-feira (26), a empresa afirmou que a procura por seu fundo Bitcoin Trust foi maior do que pelo ETF da ProShares na bolsa, refletindo em uma valorização de 8,8% no preço da cota em um dia.

Em seguida aparece a CoinShares, com US$ 5,1 bilhões, mas com um déficit anual de mais de US$ 1 bilhão. A novata ProShares, dona do primeiro ETF de Bitcoin dos EUA, também está bem posicionada no ranking das oito gestoras com maior patrimônio, calculado em US$ 1,17 bilhão.

Quase todos os investimentos em cripto na última semana foram realizados em Bitcoin, que abocanhou US$ 1,45 bilhão (99%) dos valores alocados. Já o Ethereum (ETH), segundo maior criptoativo do mundo por valor de mercado, registrou saldo negativo pela terceira semana consecutiva, de US$ 1,4 milhão.

Continua depois da publicidade

No entanto, esta não é a mesma realidade de outras criptomoedas menores. Embora com investimentos mais modestos, as altcoins Solana (SOL), Cardano (ADA) e Binance Coin (BNB) tiveram semana positiva após receberam US$ 8,1 milhões, US$ 5,3 milhões e US$ 1,8 milhões, respectivamente.

A CoinShares atribui a alta demanda por produtos de criptomoedas à aprovação dos primeiros ETFs baseados em Bitcoin pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês).

O BITO, primeiro ETF de futuros de Bitcoin nos EUA, se tornou o fundo de índice que mais rápido chegou a US$ 1 bilhão em ativos sob gestão, em apenas dois dias. A procura foi tão grande que a gestora ProShares quase esgotou nos primeiros dias de negociação todos os contratos da bolsa de derivativos de Chicago (CME) referentes a outubro aos quais tinha direito.

A Valkyrie estreou o segundo ETF de Bitcoin dos EUA na Nasdaq na última sexta (22), e o próximo deverá sair ainda nesta semana. Esperado para terça (26), o produto da VanEck teve listagem adiada para amanhã (27).

Até onde vai o Bitcoin? Especialista da Levante dá aula gratuita sobre o futuro da criptomoeda. Clique aqui para assistir

Paulo Barros

Editor de Investimentos