Avaliação

Possível oferta de ações seria positiva para Abril Educação, diz Ativa

Durante evento com investidores e analistas, presidente da companhia reconhece baixa liquidez do papel e sinaliza chances de fazer uma nova emissão

SÃO PAULO – A realização de uma oferta de ações seria potencialmente positiva para o desempenho da Abril Educação (ABRE11) na Bovespa. Esta é a opinião da equipe de análise da corretora Ativa.

“Uma oferta de ações poderia ser benéfica para aumentar a liquidez da ação, já que atualmente apenas 25,1% das ações estão em free float, e a maior parte desses acionistas minoritários é representada por fundos de investimento que dificilmente se desfazem dos papéis”, diz a corretora em relatório.

Durante evento com analistas e investidores, o presidente da companhia, Manoel Amorim, reconheceu o problema da falta de liquidez das ações da companhia, sinalizando possibilidade da fazer uma nova oferta de ações, ainda sem prazo definido.

O anúncio vem em meio a uma semana agitada das empresas de educação na bolsa brasileira. Na última segunda-feira (3), a Estácio (ESTC3) protocolou junto à Anbima a intenção de realizar uma oferta primária e secundária de ações, podendo levantar R$ 623 milhões. No mesmo dia, a Anhanguera (AEDU3) enviou um comunicado ao mercado informando que não pretende realizar uma nova oferta de ações.

Aquisições e parcerias
Também durante o encontro, o executivo afirmou que a Abril pretende gerir escolas de ensino básico, e já estuda três colégios para uma futura aquisição. Isso, de acordo com a Ativa, seria uma boa opção para diversificar ainda mais o portfólio da companhia. “Contudo temos que analisar os ativos a serem comprados para podermos ter uma posição mais sólida”, destacam os analistas.

A Abril Educação confirmou ainda que irá lançar, junto à operadora Vivo, a partir do dia 14 deste mês, uma plataforma de cursos preparatórios por celular. Serão quatro cursos diferentes: inglês, preparatório para o Enem, declaração de IR e análise de vinhos.

A expectativa da corretora sobre o negócio é positiva, uma vez que o preço da “matrícula” é bastante baixo. Segundo o presidente da Abril, o usuário pagará R$ 2,99 por semana para ter direito a acompanhar qualquer um dos cursos ou um valor entre R$ 4,99 e R$ 6,99 por semana para realizar apenas um dos cursos.